Servidores do Judiciário mantêm greve apesar do ultimato

Em assembléia realizada hoje na Praça João Mendes, no centro,os servidores do Poder Judiciário do Estado decidiram continuar a greveque paralisa fóruns e cartórios de São Paulo há 86 dias. O presidente do Tribunal de Justiça, Luiz Elias Tâmbara, havia oferecido14,58% de reajuste, em média, para os funcionários, mas essa propostafoi rejeitada. Hoje o órgão especial do Tribunal de Justiça havia referendado a proposta de 14,57%, mas deu um ultimato aos grevistas: a não aceitação da proposta implica no desconto dos 86 dias parados, manutenção das punições já aplicadas e abertura de processos administrativos por abandono de cargo.Doze milhões de processos estão paralisados. De acordo com o comando de greve, 15 mil pessoasparticiparam da assembléia. Para a PM, eram 5 mil servidores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.