Servidores do Judiciário Federal param amanhã em SP

Servidores do Judiciário Federal em São Paulo vão paralisar suas atividades durante 48 horas a partir de amanhã, como parte da campanha salarial dos servidores federais. A expectativa dos organizadores é que pelo menos 5,8 mil trabalhadores acabem aderindo à greve. "Em todo o Estado há 8 mil servidores que atuam no Judiciário. Pelo menos os filiados ao sindicato devem comparecer", avalia o diretor da entidade (Sintrajud), José Carlos Sanches. Em todo o País, a categoria é formada por 100 mil servidores.De acordo com Sanches, as condições de trabalho são péssimas no Tribunal Regional do Trabalho (TRT). "Esperávamos que, com o novo prédio do TRT na Barra Funda, o problema estivesse resolvido, mas está tudo na mesma com a obra paralisada. Os servidores trazem canetas, papel higiênico e outros materiais de casa. Falta até formulário contínuo para os serviços do próprio TRT", denuncia.Amanhã, eles protestarão em frente ao Fórum da Justiça Federal Pedro Lessa, na Avenida Paulista, às 14 horas. A plenária nacional do funcionalismo, realizada no último dia 5, em Brasília, deliberou a realização de atos em frente às sedes dos fóruns da Justiça Federal em todas as capitais do País.Além do reajuste de 75,48% e da defesa do serviço público, os funcionários do Judiciário Federal reivindicam o pagamento imediato de todo o saldo da dívida referente à conversão dos salários de URV para real, feita em março de 1994, e que, segundo o sindicato da categoria, filiado à Central Única dos Trabalhadores (CUT) gerou uma redução salarial de 11,98%.Em outubro do ano passado, o Supremo Tribunal Federal (STF) reconheceu a dívida, mas até agora não foi feita a quitação do pagamento. Uma comissão formada por representantes dos tribunais superiores e da Federação Nacional dos Trabalhadores do Judiciário Federal e Ministério Público da União revisou o plano de cargos e salários para a categoria. De acordo com o sindicato estadual destes servidores, o objetivo da revisão foi o de corrigir distorções salariais. O projeto está concluído e o STF tem que encaminhá-lo ao Congresso Nacional.Ainda segundo o sindicato, também confirmaram adesão à paralisação nacional os servidores da Justiça Federal nas cidades de Santos e Franca. Nas demais cidades do interior, haverá assembléias hoje e amanhã. A CUT está preparando um pedido de abertura de processo por crime de responsabilidade contra o presidente Fernando Henrique Cardoso no STF. A Central alega que a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) do próximo ano não prevê verbas para reajuste de salários dos funcionários públicos federais. A ação apenas deverá ser encaminhada no início do próximo mês, quando termina o prazo para as mudanças na LDO.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.