Servidores do Judiciário de SP mantêm greve

Os servidores do Judiciário do Estado de São Paulo decidiram hoje continuar em greve por tempo indeterminado. Eles reivindicam 54,31% de reposição salarial referente à inflação dos últimos sete anos. A decisão foi tomada em assembléia com a presença de quatro mil servidores na praça João Mendes, centro da capital paulista, segundo a Polícia Militar. Há 24 dias em greve, os servidores tentam desde o primeiro dia de paralisação negociar a reposição salarial com o presidente do Tribunal de Justiça de SP, desembargador Márcio Martins Bonilha. A assessoria de imprensa do TJ não confirmou se o presidente vai receber os grevistas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.