Servidores do Ibama fazem amanhã paralisação de 24 horas

Com a paralisação, a categoria reivindicará também reajuste salarial e transparência na gestão pública

Agência Brasil

20 de agosto de 2008 | 20h16

Servidores do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e do Instituto Chico Mendes fazem nesta quinta-feira paralisação de 24 horas, reivindicando reestruturação da carreira de especialista em meio ambiente e valorização do setor em nível federal. Com a paralisação, a categoria reivindicará também reajuste salarial e transparência na gestão pública.   Nesta quarta-feira, os servidores fizeram manifestação em frente ao Ministério do Planejamento, pedindo a edição de medida provisória para reajustar os salários das categorias que ficaram fora da MP 431, que estabeleceu reajustes para mais de 800 mil servidores públicos, além de 700 mil militares. Segundo o presidente da Associação dos Servidores do Ibama Nacional, Jonas Corrêa, até o momento, nenhum instrumento legal foi encaminhado ao Congresso Nacional para cumprir o que foi acertado com o governo em maio deste ano para reajustar os salários da categoria. "Se o governo não cumprir o acordo, teremos que discutir com as bases e parar por tempo indeterminado", disse Corrêa.   De acordo com Corrêa, o coordenador-geral de Negociação e Relações Sindicais do Ministério do Planejamento, Júlio Werner Peres, informou que neste momento o ministério está concentrado no fechamento dos acordos com as demais categorias, para enviar um instrumento legal ao Congresso Nacional com os reajustes salariais assinados.   Conforme o sindicalista, Peres disse que só depois dessa etapa será constituído o grupo de trabalho para elaborar a proposta de reestruturação da carreira de especialista em meio ambiente.   O Ministério do Planejamento confirmou à Agência Brasil que está concentrado no fechamento dos acordos firmados com 17 categorias incluídas na MP 431. Segundo o ministério, os servidores do Ibama e do Instituto Chico Mendes devem aguardar a edição de nova medida provisória para reajuste salarial das categorias.

Tudo o que sabemos sobre:
Ibamaservidoresgreve

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.