Servidores do DNER são demitidos por improbidade

Foram demitidos hoje, em atos publicados no Diário Oficial, o procurador federal Pedro Eloi Soares e o engenheiro Bernardo Rosenberg, funcionários do extinto Departamento Nacional de Estradas de Rodagem (DNER). De acordo com nota da Advocacia Geral da União (AGU), o advogado-geral da União, Gilmar Ferreira Mendes, e o ministro dos Transportes, Alderico Lima, acataram a as conclusões da Comissão de Processo Administrativo Disciplinar e decidiram demitir os dois "por improbidade administrativa e valimento do cargo para lograr proveito pessoal de outrem, em detrimento da dignidade da função pública".Segundo a nota, as demissões ocorreram após o julgamento de um processo administrativo disciplinar, instaurado para apurar a responsabilidade dos dois servidores em irregularidades no DNER, apontadas em processo judicial que tramitava na 17ª Vara da Justiça Federal do Distrito Federal.De acordo com o processo, a empresa Viriato Cardoso Construções Ltda. cobrava valores referentes a obras realizadas para o DNER. A nota informa que a comissão apurou que o procurador Pedro Eloi fez um acordo extrajudicial com a empresa no valor de R$ 8.387.936,00, prejudicial aos cofres públicos. A União não chegou a desembolsar a quantia porque a AGU requereu na Justiça a uma declaração de nulidade desse acordo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.