Servidores da Saúde de SP suspendem greve

A Assembléia que reuniu os servidores da rede estadual de Saúde, hoje, votou o fim da greve. Depois de 45 dias de paralisação, os funcionários da Saúde, que reivindicam reajuste salarial de 30%, decidiram voltar ao trabalho. De acordo com informações do Jornal SPTV, da TV Globo, o principal motivo para o fim da greve seria a volta às negociações por parte do governador Geraldo Alckmin, além da apresentação de um novo índice salarial. A volta ao trabalho, votada na Assembléia, é imediata.Segundo Maria Aparecida, membro do Sindicato dos Servidores dos Hospitais Públicos do Estado de São Paulo (Sindsaúde), aqueles que têm consulta marcada a partir desta segunda-feira serão atendidos normalmente e as consultas e exames que foram suspensos em razão da greve serão encaixados. "É claro que vai haver a necessidade de um período de reorganização do serviço", afirmou Aparecida. Ela disse, ainda, que as pessoas que ficaram sem atendimento durante o período de paralisação serão priorizadas e não precisarão enfrentar filas. Segundo o Sindicato, os atendimentos de emergência passam a ser normais a partir de hoje.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.