Servidores chamam presidente do PT de traidor

O presidente do PT, José Genoino, foi chamado de traidor por um grupo de servidores, ao deixar a reunião da bancada do partido na Câmara. Eles estavam fazendo uma manifestação contra a votação do PL-9, que permite a criação de fundos de aposentadoria complementar para os futuros servidores públicos. Genoino não parou e, depois de passar pela manifestação, disse aos jornalistas que aquela era uma crítica infundada, que ele não iria responder.Ele disse, após passar na reunião, que foi reafirmar aos deputados petistas que existe um acordo entre o ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, e a base do governo no sentido de que não será enviado ao Congresso, este ano, projeto prevendo a autonomia do Banco Central. "Está fora da agenda", disse . "Não é em 2003". Questionado se a proposta será enviada em 2004, como disse o presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles, Genoino respondeu: "Não é o Banco Central que vai decidir isso, e sim o governo". O presidente do PT avaliou que o compromisso do governo em não enviar a proposta este ano facilitará a aprovação da proposta de emenda constitucional que prevê a regulamentação do artigo 192 da Constituição (sistemna financeiro) por leis compoementares. Veja o índice de notícias sobre o Governo Lula-Os primeiros 100 dias e o Congresso

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.