Servidora é indiciada por quebra de sigilo de tucanos

A Polícia Federal indiciou ontem a servidora do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) Adeildda Ferreira Leão dos Santos pelo crime de violação de sigilo. Ela é acusada de ter acessado, sem autorização, os dados fiscais de Eduardo Jorge, vice-presidente do PSDB e de outros políticos tucanos quando trabalhava na agência da Receita em Mauá, na Grande São Paulo.

AE, Agência Estado

17 de setembro de 2010 | 10h04

Ela atuou durante 23 anos no Fisco. A corregedoria da Receita apurou que, do computador usado por Adeildda, foram violados quase 3 mil declarações de renda. Ela alega que apenas cumpria "ordens superiores".

O advogado Marcelo Panzardi, que defende Adeildda no processo administrativo, encarou o indiciamento dela com tranquilidade. "As investigações da PF caminhavam para isso. Ela é a ponta do iceberg", anotou. Segundo Panzardi, a PF ainda apura quem seria o mentor dos pedidos de quebra de sigilo de outras pessoas ligadas ao candidato do PSDB à Presidência, José Serra, e eventuais ramificações políticas do escândalo. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.