Servidor deve discutir reforma no Congresso, diz Dirceu

O ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, disse hoje que o governo tem o compromisso com a reforma da Previdência e que os pleitos dos servidores em relação a esse tema devem ser discutidos no Congresso, e não com o Executivo. A resposta foi dada a um pedido dos servidores, apresentado durante reunião entre sindicalistas e governo, para que fosse retirada a proposta de emenda constitucional da reforma da Previdência. "O espaço de repactuação é o Congresso Nacional", afirmou o ministro, lembrando que a proposta em discussão foi resultado de um acordo com os governadores. Ele disse que o governo não tem medo de fazer o debate político sobre o assunto com os servidores, mas sugeriu que a disputa em torno da reforma seja separada do programa de reestruturação do Estado, que foi apresentado no encontro pelo ministro do Planejamento, Guido Mantega. Dirceu disse que os servidores podem negociar com o relator da reforma e com os líderes partidários, e o governo também será ouvido pelos mesmos no processo de negociação. "Temos que ser, neste momento, muito objetivos", afirmou Dirceu. Ele disse também que está claro que não há acordo entre o governo e os servidores em relação a esse assunto. O ministro disse ainda que levará ao presidente da República um pedido de audiência "justo e necessário", que também foi apresentado pelos servidores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.