Divulgação
Divulgação

Serraglio diz que CCJ conclui votação do recurso de Cunha no dia 12

Presidente da Comissão, o deputado peemedebista marcou a sessão de leitura do parecer do relator Ronaldo Fonseca (PROS-DF) para quarta-feira, 6

Daiene Cardoso, O Estado de S.Paulo

04 de julho de 2016 | 18h45

BRASÍLIA - O presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR), avalia que será possível concluir a votação do recurso do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) até o dia 12 de julho, na última semana antes do início do recesso parlamentar. "No que for possível ser produtivo, aproveitando o pouco tempo que nós temos, estou pautando e fazendo acontecer", disse.

Por conta da instabilidade de quórum na Casa nos últimos dias, o peemedebista explicou que marcou a sessão de leitura do parecer do relator Ronaldo Fonseca (PROS-DF) para quarta-feira, 6, porque não seria possível de qualquer forma votar o recurso nesta semana. "Não pautei para hoje porque não tínhamos (sessão) hoje. Como é que eu ia imaginar que o presidente (da Câmara, Waldir Maranhão - PP-MA) ia convocar uma reunião de hoje a quinta-feira? Meu raciocínio foi construído na inexistência desta segunda-feira", justificou. Serraglio afirmou ainda que Fonseca precisava de mais tempo para produzir um relatório.

Na avaliação de Serraglio, um eventual recesso branco não interromperia a análise do pedido de cassação no plenário, mas admite que haveria dificuldade em reunir parlamentares para votar o caso de Cunha no plenário. Ele negou que esteja beneficiando Cunha com os prazos prolongados, disse estar com a "cabeça tranquila", mas reconheceu que o impasse no processo de cassação do colega de bancada causa transtorno para a Câmara. "Toda situação do Eduardo Cunha é tormentosa, é evidente que há dificuldade para a Casa", concordou.

Serraglio espera que Fonseca entregue seu parecer nas próximas horas e avisou que encaminhará o relatório para todos os membros da comissão. Cunha será notificado a comparecer na comissão, se assim o quiser. "Amanhã quero esse relatório com 24 horas de antecedência (da reunião da CCJ)", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.