Serra visita escola em favela inaugurada em seu governo

Candidato do PSDB à Presidência, o ex-governador de São Paulo José Serra passou a tarde de hoje na Favela de Heliópolis, na zona sudeste da capital. O tucano visitou duas obras que se tornaram bandeiras de seu governo: uma escola técnica (Etec) e um Ambulatório Médico de Especialidades (AME), inaugurados no ano passado pelo próprio Serra. A escola foi aberta em setembro e a unidade de saúde, em dezembro.

CAROLINA FREITAS, Agência Estado

03 de agosto de 2010 | 20h37

Acompanhado por dezenas de cabos eleitorais de candidatos a deputado estadual por sua coligação, Serra caminhou meio quarteirão de seu carro até a Etec. Ao entrar no pátio da instituição, a equipe de campanha pediu que os cabos eleitorais baixassem as placas e parassem de distribuir panfletos e adesivos. "Senão é crime eleitoral", gritava um homem.

No mesmo terreno funciona uma escola municipal de educação infantil (Emei). As crianças foram até as escadarias do prédio e, de longe, entoaram um coro: "Serra, Serra, Serra." O candidato acenou para elas. Tudo era captado por um microfone de lapela colocado na camisa de Serra assim que ele desembarcou em Heliópolis, além de ser filmado e fotografado pela equipe de campanha.

Quando Serra se aproximava do prédio da Etec, foi abordado por uma pessoa que o elogiou e gritou: "Serra presidente!" Correligionários aplaudiram e o candidato imediatamente deu meia-volta: "Vamos embora senão vão dizer que estamos fazendo comício", disse. A lei eleitoral proíbe a propaganda eleitoral em bens que pertençam ao poder público ou cujo uso dependa de cessão ou permissão dele.

Serra concedeu entrevista para jornalistas no pátio do AME de Heliópolis, mas entrou acompanhado por não mais que dez correligionários no prédio do ambulatório. "Vocês não podem entrar senão vão dizer que estou fazendo campanha", disse aos jornalistas. Cabos eleitorais esperaram do lado de fora da grade, gritando o nome dos candidatos a deputado estadual e de Serra.

Se eleito presidente, o tucano pretende levar o exemplo de Heliópolis para outras comunidades pelo País. "Transformar favelas em bairros, é o que eu quero fazer com todo o Brasil", disse. "É um projeto para todas as áreas pobres das grandes cidades".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.