Serra tem medo de perder o apoio de Kassab, diz tucano

Declaração de dirigente foi dada após debate entre pré-candidatos tucanos à Prefeitura de São Paulo na noite da segunda-feira, 28

Jair Stanlger, do estadão.com.br

29 de novembro de 2011 | 15h26

Após a realização de um debate entre os quatro pré-candidatos tucanos à Prefeitura de São Paulo, na noite desta segunda-feira, 28, um dirigente tucano resumiu com a seguinte frase a tensão vivida pelo PSDB paulista nos últimos dias: "o problema é que Serra tem medo de perder o apoio do Kassab". De acordo com ele, o ex-prefeito e ex-governador de São Paulo tem falado claramente a interlocutores sobre isso. Para Serra, diz ele, a questão não é só São Paulo, mas também outras regiões do País, onde o PSD, partido criado pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, conquistou apoios importantes. 

 

A preocupação, acrescenta, é sobretudo em relação ao governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), com quem Kassab tem mantido conversas. Campos, além de ser presidente nacional do PSB, é fenômeno de popularidade no Nordeste e tem seu apoio disputado por várias legendas. Além disso, o Estadão mostrou que o PT estaria preprarando uma estratégia para blindar Kassab, em função das alianças em outros Estados.

 

Apesar de tudo isso, o dirigente não desconsiderou de todo a possibilidade de o PSDB apoiar o PSD após a realização de todos os debates das prévias. Ele também defendeu uma eventual participação do PDT na coligação, o que, na sua avaliação, daria maior penetração ao partido no movimento sindical.

 

Divisão no ninho tucano. A tensão entre os tucanos e o prefeito Gilberto Kassab ficou evidente durante debate realizado na noite da segunda-feira, 28, quando três dos quatro pré-candidatos à Prefeitura de São Paulo criticaram a gestão do prefeito. O deputado federal Ricardo Trípoli, que foi o menos incisivo, lembrou que os quatro foram desacreditados quando iniciaram a campanha pelas prévias. Já o secretário estadual de Energia, José Aníbal, reclamou da "lerdeza" dos serviços da prefeitura e afirmou que as subprefeituras viraram "zeladorias". O secretário estadual de Cultura, Andrea Matarazzo, pediu melhorias no transporte e disse que é preciso enfrentar as empresas de ônibus - calcanhar de Aquiles da gestão Kassab. 

 

No discurso mais duro da noite, Bruno Covas acusou aqueles que "tentam trabalhar contra" a candidatura própria tucana. O que pode ser interpretado como uma crítica velada a Serra. 

 

"Serra apóia as prévias". Já o deputado federal Julio Semeghini, presidente municipal do PSDB, afirmou que Serra apoia as prévias. "Dentro do nosso partido, o que tem são declarações que as pessoas dão no jornal e ficam fora do contexto. O Serra, diferente do que tem sido dito e do que ficou entendido pelas próprias palavras do Bruno, tem conversado comigo, apoia as prévias, em nenhum momento se manifesta contra. O que ele quer é exatamente o que foi conversado ontem (durante reunião entre os pré-candidatos e o governador Geraldo Alckmin no Palácio dos Bandeirantes), que se prorroguem esses prazos, para a gente conhecer quem está maduro, quem está preparado. Tem muita gente dentro do partido que ainda não apoia as prévias. À medida que a gente vai avançando, todos vão se envolver e vão estar participando", prevê. Segundo ele, o resultado do debate foi positivo: foi bom para treinar os pré-candidatos e também para mostrar que o partido está unido.

 

Semeghini também não vê nenhuma distensão entre o PSDB e Kassab. Segundo ele, às vezes "um candidato coloca uma posição contrária a uma liderança ou duramente contrária ao próprio governo do Kassab que é nosso aliado. Não é nosso objetivo, a gente não quer isso. Mas isso na verdade ainda é o clima, é a falta que tem os pré-candidatos de achar o tom. Por isso que é importante a gente ter isso, para estarmos nos ajustando", avalia. Em sua avaliação, isso ocorre porque o candidato quer "se expressar, ele quer ser mais contundente, quer se expor de uma maneira mais forte. A orientação é para que a gente nem avance dessa forma."

Atualizada às 21h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.