Serra tem 37% e Marta 33% na pesquisa Datafolha

O candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, José Serra, voltou a passar a prefeita Marta Suplicy (PT), candidata à reeleição, segundo a última pesquisa Datafolha, realizada sexta-feira. Ele chegou a 37% das intenções de voto, enquanto a petista tem 33%. Os resultados são muito parecidos aos do levantamento anterior, de 26 de agosto, mas com os papéis invertidos: Marta tinha 34% das preferências e Serra, 30%.Na pesquisa espontânea, aquela em que não se apresentam nomes ao entrevistado, o tucano subiu de 20% para 27% e encostou na prefeita. Marta fora mencionada por 24% em 26 de agosto e na sexta-feira foi citada por 26%.Nesse cenário de polarização entre os dois, o ex-prefeito Paulo Maluf (PP) caiu mais 4 pontos e está com 12% das intenções de voto. A deputada Luiza Erundina (PSB) desceu de 6% para 4%. Francisco Rossi (PHS) está com 2% e Paulo Pereira da Silva (PDT), o Paulinho, com 1%. Os demais candidatos não chegam a 1%. A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais e foram entrevistadas 1.725 pessoas.Serra também teria mais vantagem se a eleição de segundo turno fosse hoje. Na simulação, ele conseguiria 56% dos votos e Marta 37%, uma diferença de 19 pontos. Com relação à pesquisa de agosto, o tucano subiu 4 pontos, mas a prefeita caiu 3. Ainda na simulação para o segundo turno, Serra venceria Maluf, por 71% a 18%. O candidato do PP também seria derrotado por Marta no 2.º turno: ela teria 59% e ele, 28%.O tucano teria o maior beneficiário dos votos dos eleitores de Erundina e Maluf: 73% dos que preferem o ex-prefeito dizem que votariam em Serra no segundo turno contra Marta. Entre os eleitores de Erundina, o porcentual é de 51%. Marta teria votos de 16% dos malufistas e de 36% dos eleitores de Erundina.A taxa de rejeição aos candidatos teve poucas mudanças, todas em torno de 1 ponto, e parece estar estabilizada. A rejeição a Marta, que vinha caindo de forma constante, baixou de 30% para 29%. No caso de Serra, que tem um dos menores índices de rejeição, o porcentual foi de 11% para 10%. Maluf, o campeão de rejeição, a oscilação foi de 51% para 52%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.