Serra só será candidato se PSDB pedir, diz Goldman

O líder do PSDB na Câmara, deputado Alberto Goldman (SP), disse hoje que o prefeito de São Paulo, José Serra, só será candidato à presidência da República se for para atender a um eventual pedido do partido. Segundo ele, há um consenso dentro da legenda de que Serra não deve colocar uma pré-candidatura na mesa, por ter iniciado há apenas um ano seu mandato na Prefeitura de São Paulo. "O consenso, claro, é de que o Serra não deve entrar como pré-candidato. Ou ele é candidato ou não é", disse Goldman. Com base nisso, Goldman descartou também a possibilidade de o candidato do PSDB ser escolhido em uma convenção, onde seriam colocados lado a lado os nomes de Serra e do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. "Ele (Serra) certamente não vai para convenção nem para nenhum processo de disputa", acrescentou.Segundo Goldman, o prefeito paulistano encontra-se em uma situação muito diferente da de Alckmin, que está no final do mandato e reúne as condições necessárias para colocar seu nome à disposição da legenda.As declarações de Goldman foram feitas em resposta à idéia de que, apesar de ainda não ter anunciado uma intenção de disputar a eleição, Serra aparece no discurso de vários tucanos como se fosse um pré-candidato declarado à presidência da República.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.