Serra será candidato se houver chamamento do PSDB, diz líder

"Tenho a absoluta convicção de que, se o partido decidir que José Serra será candidato à presidência da República, ele não fugirá dessa responsabilidade." Com essa frase, repetida quatro vezes durante entrevista coletiva, o novo líder do PSDB, deputado Jutahy Magalhães Júnior (BA), garantiu que o prefeito paulistano aceitará a indicação de disputar a presidência da República, caso seja ungido pelo partido."Jamais o Serra vai se candidatar por vontade ou individualismo. Somente por um chamamento do partido ou do País ele deixará a prefeitura de São Paulo para disputar a presidência", acrescentou o deputado, que acompanha neste momento o seminário "Renovar Idéias - Política Monetária e o Crescimento Econômico do Brasil". O evento é promovido pelo Instituto Teotônio Vilela, do PSDB, e pelo Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi).Jutahy, um dos principais defensores da candidatura Serra, afirmou também que o processo de escolha do candidato tucano está sendo bem coordenado pelo senador Tasso Jereissati (CE), presidente da sigla, em conjunto com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o governador de Minas Gerais, Aécio Neves. Na visão do deputado, diferentemente de Tasso, não há motivo para que a escolha do candidato seja antecipada, devendo, assim, prevalecer o calendário inicial de decisão para o meio de março. "Não acredito na realização de prévia ou convocação do Diretório Nacional", acrescentou.Jutahy disse ainda que Serra é o candidato mais forte para enfrentar o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e sair vitorioso. Segundo ele, tal avaliação é balizada não apenas nas pesquisas de intenção de voto mas também na capacidade de Serra articular alianças políticas com outros partidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.