Serra: sem Palocci, Dilma perde 'primeiro-ministro'

O ex-governador de São Paulo José Serra (PSDB) afirmou hoje que o ex-ministro-chefe da Casa Civil Antonio Palocci exercia o papel de um primeiro-ministro no governo federal e agora, com sua saída, a presidente Dilma Rousseff não dispõe de ninguém para substituí-lo em suas funções.

EQUIPE AE, Agência Estado

08 de junho de 2011 | 11h47

"Palocci era, sem dúvida, o personagem forte de um governo hesitante e fraco do ponto de vista político e administrativo. Até a convulsão que envolveu a si próprio, exercia o papel de primeiro-ministro", disse Serra, em texto publicado em seu blog.

De acordo com o tucano, os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva não necessitavam de um primeiro-ministro, mas Dilma precisa. "A saída do ministro Antonio Palocci resolveu, sem dúvida, um problema político imediato para a presidente Dilma Rousseff, que será sucedido por outro de bom tamanho. Vai-se uma crise, chega outra", previu.

Serra afirmou que Palocci é habilidoso nas negociações políticas e tem experiência nas questões da administração federal, tanto que "Lula sempre o levou muito em conta nos assuntos de governo". O ex-governador, que disputou a eleição presidencial de 2010 e foi derrotado por Dilma, ressaltou também que Palocci "tinha liderança dentro do PT e desfrutava de relações próximas com Lula - virtual tutor da presidente e, ao mesmo tempo, seu potencial causador de enxaqueca política até 2014".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.