Serra sem Alckmin não teria chance, diz Marta

A prefeita licenciada de São Paulo e candidata à reeleição pelo PT, Marta Suplicy, disse hoje que sem o apoio do governador Geraldo Alckmin o candidato do PSDB a prefeito, José Serra, não teria chance. A menos de uma semana para o segundo turno das eleições, o tucano aparece em primeiro lugar nas pesquisas. "O Serra sem o apoio do outro (Alckmin) não teria a mais leve chance", afirmou Marta. "Ele (Serra) conseguiu ter uma boa alavancada com o apoio do Alckmin", completou ela em entrevista à Rádio Capital.A petista reconheceu que Alckmin tem credibilidade e é melhor avaliado do que seu adversário na corrida eleitoral. Marta voltou a afirmar que seria injusto ela não vencer as eleições no próximo domingo. "Eu acho que seria muito injusto e as pessoas seriam levadas pelo bico", afirmou. O símbolo do PSDB é um tucano, ave com bico proeminente. "O outro (Serra) não fez nada em São Paulo", emendou.Marta ainda criticou a intenção do adversário de realizar mutirões pela cidade, caso eleito prefeito da capital paulista. "É mutirão disso, mutirão daquilo. Mas você não governa a cidade com mutirão", afirmou.A prefeita licenciada recusou-se a falar sobre seu futuro político caso perca a eleição domingo. "Eu seria doida de falar sobre isso", afirmou para, em seguida, acrescentar que "acredita genuinamente que tem chance de ganhar".A candidata do PT voltou a reclamar da imprensa escrita, afirmando estar sendo vítima de preconceito. "É uma tentativa (o que tem ocorrido) de destruição de tudo o que eu faço o tempo inteiro", disse. Mas, rapidamente, Marta mudou o assunto, justificando que "não se sente confortável no papel de vítima". E como se falasse consigo mesma, afirmou: "Eu tenho que virar a página com a coragem, energia e determinação que tenho."Sobre o choro, no último sábado, em campanha com aposentados, quando Marta alegou que estava triste por ser vítima de preconceito, ela garantiu: "Sou uma pessoa que não desanima. Eu choro, me abato. Mas dura dois minutos. Aí, eu me recomponho e vou à luta."MandatoMarta disse ainda ser favorável a um mandato de cinco anos, ao invés de quatro. "Acho que o ideal seriam cinco anos sem reeleição", defendeu ela, durante a entrevista ao programa de Paulo Lopes.A petista argumentou que o primeiro ano de governo é de avaliação e reavaliação. "Você tem de mudar todo o time", observou. "Se as pessoas acham que está indo bem (governo dela), não tem de ter um ano perdido (com a troca do prefeito); tem é de ganhar um ano", defendeu ela.AgendaPor causa da forte chuva que atinge a cidade, Marta cancelou a visita que faria nesta tarde ao Jardim Romano, região de São Miguel Paulista, na zona Leste. À noite, ela vai à TV Globo para participar de entrevista na 2ª edição do SPTV.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.