Serra se nega a comentar candidatura de Aécio à presidência do PSDB

Ex-governador fez sua 1ª aparição pública após visita do senador mineiro à capital paulista

Bruno Lupion, de O Estado de S. Paulo,

01 Abril 2013 | 15h08

SÃO PAULO - O ex-governador tucano José Serra se recusou, nesta segunda-feira, 1º, a comentar o apoio do governador do Estado, Geraldo Alckmin, ao nome de Aécio Neves para presidir o PSDB.

Foi a primeira aparição pública de Serra após o périplo do senador mineiro pela capital paulista, na última semana, que culminou na declaração de apoio de Alckmin. Serra não participou do ato político realizado pelo diretório estadual do partido com Aécio, sob pretexto de que já havia marcado viagem para os Estados Unidos na mesma data.

"Não vou falar de política hoje", disse Serra, após participar da cerimônia de abertura do acesso via internet a um milhão de documentos do antigo Departamento de Ordem Pública e Social do Estado (Dops), no Arquivo Público do Estado, zona norte da capital.

Questionado, Alckmin também desconversou se nutre expectativa de que Serra declare apoio a Aécio. "As coisas estão caminhando. Serra é uma pessoa de partido, foi fundador do PSDB", disse.

Yuri Gagarin. Em seu pronunciamento, Serra parabenizou o governo pelo lançamento do acesso digital aos documentos do Dops, mas ressaltou que muitas informações contidas nos prontuários são falsas.

Ele citou a sua própria ficha no órgão, que menciona erroneamente sua participação, no início da década de 60, em um jantar em homenagem ao cosmonauta Yuri Gagarin durante sua visita ao País. "A ficha disse que eu tinha ido ao jantar e que eu tinha chorado quando falaram o nome da União Soviética. Mas, quando o Gagarin veio, eu nem era ainda da universidade, muito menos era do fã clube da União Soviética, a ponto de chorar", disse, provocando risos na plateia.

"Poucas vezes, e tenho longa experiência nesse tema, vi informações tão erradas. (...) Fico imaginando o que os historiadores vão achar no futuro", afirmou.

O coordenador do arquivo público do Estado, Carlos de Almeida Prado Bacellar, também pediu cuidado com o uso das informações dos prontuários do Dops. Ele ressaltou que, antes de acessar os arquivos, o usuário deverá ler um alerta que pede o uso responsável das informações.

Mais conteúdo sobre:
José Serra Aécio Neves PSDB

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.