Serra se esquiva de política sucessória

O ministro da Saúde, José Serra, se esquivou, nesta sexta-feira, de falar sobre política partidária e sucessão presidencial em Ribeirão Preto.Um dos pré-candidatos do PSDB à presidência da República, Serra apenas afirmou que a decisão sobre candidaturas "está nas mãos da executiva do PSDB".O ministro também se negou a comentar o crescimento, nas pesquisas eleitorais, da governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PFL)."Vim aqui para comentar sobre saúde, eleição, não", insistiu Serra à entrada de um centro de convenções onde participou da aula inaugural do curso de qualificação do Projeto de Profissionalização dos Trabalhadores da Área de Enfermagem (Profae).Apesar de o ministro se recusar a falar de política, o secretário municipal de Saúde de Ribeirão Preto, Luiz Carlos Raya, não deixou de criticar a solenidade, que contou com a presença de deputados, prefeitos e vereadores."Bela campanha eleitoral", disse Raya, em tom de crítica, antes do início da aula inaugural. O secretário participa, pela segunda vez, de uma administração petista.O ministro Serra preferiu enfatizar o investimento de R$ 600 milhões no programa de qualificação profissional. Em Ribeirão Preto e em mais 131 municípios da região, o Profae vai atender 1.200 trabalhadores da área de saúde.O programa tem financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) - US$ 185 milhões -, do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) - US$ 130 milhões -, e do Ministério da Saúde - US$ 55 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.