Serra reluta em aceitar governo de SP e dificulta anúncio

A cúpula do PSDB está tentando convencer o prefeito da capital, José Serra, a aceitar a disputa pela sucessão ao governo do Estado de São Paulo nas eleições deste ano. Este parece ser o último obstáculo a ser vencido pelo triunvirato tucano, formado pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o governador de Minas, Aécio Neves, e o presidente nacional do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE), antes de formalizar o nome do seu candidato à Presidência da República. A informação foi passada à Agência Estado, por uma fonte com bom trânsito entre serristas e alckmistas. O mesmo interlocutor reafirmou a tendência do partido, que é a de optar pela escolha do nome do governador paulista, Geraldo Alckmin, para a disputa presidencial em 2006. Segundo as informações, apesar da insistência da cúpula tucana, o prefeito José Serra tem oscilado entre o interesse pela disputa para a vaga do Palácio dos Bandeirantes e a permanência na prefeitura da capital.Segundo a fonte, o prefeito estava, até ontem, irredutível na posição de não disputar a sucessão estadual. Para ele, ou era a Presidência da República ou a permanência na prefeitura. Mas a condição para concorrer ao Planalto seria a unidade partidária, que parece não ter sido atingida pelo grupo serrista.Má notíciaNo encontro na Prefeitura de São Paulo entre Serra e o triunvirato, o prefeito também será informado que terá necessariamente que enfrentar Alckmin por algum sistema de escolha do partido, provavelmente via Diretório Nacional, caso insista em apresentar pré-candidatura presidencial. FHC, Tasso e Aécio não têm autorização de governadores, senadores e prefeitos de cidades importantes para decidirem entre uma candidatura ou outra."A fase de Serra ser ungido passou. Se for do interesse do prefeito candidatar-se a presidente, terá de enfrentar um sistema de escolha", informa uma fonte lotada no Palácio dos Bandeirantes desde os tempos governador Mário Covas, morto em 2001.O que levou o prefeito a pensar em mudar de idéia nas últimas horas e admitir disputar a sucessão de Alckmin no governo estadual foi a boa performance registrada na pesquisa informal encomendada pelo partido.Serra passou a manhã de hoje em sua residência, depois de faltar à inauguração de uma escola na zona norte da capital. Por volta das 15 horas, o prefeito deixou sua casa e seguiu de helicóptero para a sede da prefeitura. Fontes ligadas à legenda ainda disseram não acreditar que o anúncio da candidatura presidencial seja feito hoje, mas que isso pode ocorrer até domingo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.