Serra reitera promessa de asfaltar Transamazônica

Em comício para cerca de 20 mil pessoas em Altamira, na região da Transamazônica, no Pará o candidato tucano à presidência da República José Serra disse ter pernas para bater pênalti. "Quem não tem perna, precisa da perna dos outros, vai bater para fora", disse sem citar o nome da adversária a candidata petista Dilma Rousseff a quem acusa de se escorar no presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

RITA SOARES, Agência Estado

15 de setembro de 2010 | 01h03

No comício, Serra reiterou a promessa de asfaltar a rodovia BR 230, a Transamazônica e de implantar a usina hidrelétrica de Belo Monte. No município que tem cerca de 100 mil habitantes, os tucanos fizeram um dos maiores comícios da atual campanha no Pará. Reuniu mais de 20 mil pessoas, segundo os organizadores.

A ida de Serra ao Pará aconteceu dois dias antes de um comício em Belém com a presença de Lula. Serra foi apresentado como sendo de "origem pobre, humilde e que estudou em escola pública". Disse que o calor humano que encontrou na região dá energia e confessou ser a primeira vez que visita o município. "É um dia importante na minha vida. "Quando a Transamazônica começou, eu estava exilado no Chile. Li muito e até escrevi um artigo (sobre a estrada). Nunca imaginei que 40 anos depois, o sonho dessa estrada não tivesse se materializado. Caramba".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.