Serra recebe apoio de Gabeira e Feldmann para 2º turno

De suéter verde, cor do PV, o candidato do PSDB à sucessão presidencial, José Serra, recebeu no começo da tarde de hoje o apoio do deputado federal Fernando Gabeira (PV-RJ) e do ex-candidato do PV a governador de São Paulo Fabio Feldmann. O evento, ocorrido na capital paulista, também contou com a participação de lideranças do PSDB, como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o governador de São Paulo, Alberto Goldman.

GUSTAVO URIBE, Agência Estado

18 de outubro de 2010 | 18h17

Serra agradeceu o apoio individual dos verdes - já que o partido declarou-se oficialmente neutro neste segundo turno - e destacou que tem uma "convicção de economista" de que a maneira mais inteligente para desenvolver uma economia é de um forma sustentável, como reivindica a principal bandeira do PV.

Em discurso de 25 minutos, o candidato do PSDB defendeu medidas de desenvolvimento sustentável, o aumento da matriz energética limpa brasileira e o financiamento da economia verde, como a concessão de financiamento a equipamentos que poupem energia. O tucano criticou o que chamou de um "círculo vicioso" que, segundo ele, ocorre no atual governo em relação a projetos da área energética, como o da construção da hidrelétrica de Belo Monte, no Rio Xingu.

De acordo com o candidato, a concessão da usina se transformou em "um verdadeiro atropelo". "No final, se atropela e acaba-se embarcando num processo caríssimo, cujas consequências não temos muita ideia do que sejam", afirmou. O candidato defendeu que o projeto de Belo Monte seja refeito.

Conforme o candidato tucano, há no País um potencial imenso de desenvolvimento da economia sustentável. "Se pegar um quarto do dinheiro de Belo Monte, dá para avançar em toda essa área." Serra avaliou ainda que o sistema de hidrovias no Brasil foi abandonado pelo atual governo.

''Elixir''

Um dos primeiros a discursar no evento, em um palco improvisado no antigo comitê de campanha de Feldmann, Gabeira relembrou seu apoio à candidatura de Serra no primeiro turno e considerou que o discurso do tucano o fascina em uma eleição "tão raivosa".

"Um governo de unidade nacional é uma coisa que soa para mim como um elixir", elogiou. Gabeira pediu a Serra que, se eleito, tenha uma ótima relação com o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB). "A população do Rio precisa disso", afirmou.

Feldmann, um ex-tucano, comparou sua situação atual à da ex-candidata do PV à Presidência Marina Silva. "Eu estou para o PSDB como Marina está para o PT", comparou, relembrando que Marina foi uma das fundadoras do PT e permaneceu no partido por 30 anos. Ele elogiou Serra como um homem obstinado e criticou a candidata à Presidência Dilma Rousseff (PT). "A adversária de José Serra tem muita dificuldade em entender o que é desenvolvimento sustentável."

Mudança climática

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso destacou que a discussão da mudança climática tem de ser uma realidade no Brasil e aumentou o tom das críticas à candidata petista. "A visão do crescimento a qualquer preço quem encarna é a Dilma. É a ideia de fazer crescer, crescer e crescer. O Brasil vai crescer, mas a questão é outra."

Afinado com o discurso do PV, FHC posicionou-se contra a mudança do Código Florestal e a construção de novas usinas nucleares no País. "Não podemos admitir que se mude o Código Florestal", defendeu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.