SERGIO DUTTI/AE
SERGIO DUTTI/AE

Serra rebate Mercadante e diz que currículo é legítimo

Declaração do senador petista durante depoimento de Lina Vieira provocou ira de governador

Silvia Amorim, de O Estado de S.Paulo, AE

18 de agosto de 2009 | 19h03

Uma declaração do senador Aloizio Mercadante (PT) em defesa da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, durante o depoimento da ex-secretária da Receita Lina Vieira nesta terça-feira, 18, no Senado, provocou um bate-boca à distância entre ele e o governador de São Paulo, José Serra (PSDB). Mercadante acusou o tucano de apresentar informações falsas em seu currículo quando era senador. O governador reagiu e chamou o petista de “mitômano” (mentiroso compulsivo).

 

Veja Também

linkLina diz que pedido de Dilma foi 'incabível' e aceita acareação

linkGoverno desacredita Lina e oposição lamenta agressividade

linkVeja como foi o depoimento

 

O episódio começou quando senadores tucanos, no meio da sessão, mencionaram o caso do currículo divulgado no site do ministério com informações erradas sobre a formação acadêmica de Dilma. No mês passado, ela teve que vir a público corrigir a informação que estava em seu currículo no site do ministério que a apresentava como mestre e doutoranda em Ciências Econômicas pela Universidade de Campinas.

 

Mercadante imediatamente reagiu e disse que no ninho tucano também havia exemplo semelhante. Ele disse que o currículo de Serra, quando senador, informa equivocadamente que o tucano é formado em engenharia civil. “Todos sabemos que ele não concluiu o curso. O currículo está lá na biblioteca do Senado para qualquer um ver”, afirmou, referindo-se ao livro com dados biográficos dos senadores da 50ª legislatura, que traz o currículo de Serra com a seguinte informação: “Formado em Engenharia Civil pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (1964).”

 

Em São Paulo, Serra respondeu ao petista. “O Mercadante é um conhecido mitômano, especialista em dossiê de aloprados e falsificou o currículo dele na campanha de 2006, quando afirmou que era doutor pela Unicamp num debate na TV Gazeta”, disse. O governador explicou que interrompeu o curso de engenharia porque teve que deixar o País na ditadura.

“Em todos os meus currículos de minha autoria ou de minha secretária consta que eu não terminei a faculdade (de engenharia. Numa entrevista para um livro do Guido Mantega eu até conto esse episódio. Esse é um fato mais do que conhecido”, prosseguiu. “Quanto aos meus títulos, são extremamente conhecidos. Portanto, eu teria até títulos a emprestar àqueles que dizem que têm e que não têm”, ironizou.

 

“Acho que ele deveria pedir desculpa, porque eu apresentei fatos objetivos e ele cresceria se reconhecesse com humildade que errou”, disse Mercadante ao saber da reação do tucano. ‘Não fiz nenhuma agressão e só reagi a uma provocação da oposição”, emendou o líder da bancada do PT no Senado

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.