Tiago Queiroz/AE
Tiago Queiroz/AE

Serra promete 400 quilômetros de vias para bicicletas em SP

Durante encontro com eleitores e ciclistas na zona leste, o candidato do PSDB à Prefeitura lançou suas propostas para incentivar o uso desse meio de transporte na cidade

Circe Bonatelli, Agência Estado,

14 de julho de 2012 | 16h12

O candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, José Serra, apresentou neste sábado, 14, suas propostas para incentivar o uso de bicicletas na cidade. As promessas de campanha foram feitas durante encontro com eleitores e ciclistas na zona leste, em que o tucano pedalou pela ciclovia entre as estações de metrô Itaquera e Artur Alvim. Segundo Serra, sua meta principal é expandir o total de ciclovias, ciclofaixas e ciclorrotas da cidade de 183 quilômetros para 400 quilômetros, por meio de parceria com o governo estadual.

O candidato também afirmou que dará continuidade ao projeto São Paulo Bike, com a expansão dos pontos de empréstimo de bicicletas de 100 em 2012 para 300 em 2014. "Minha intenção é expandir os empréstimos além do previsto, trazendo outras empresas privadas (para o projeto)", afirmou. "Isso combina a promoção das empresas, com marketing legítimo, e o interesse público, que é ter bicicleta emprestada de graça por um certo tempo", completou.

Por fim, Serra disse que pretende desenvolver uma campanha educacional específica de respeito e conscientização dos ciclistas, no mesmo modelo da campanha atual da prefeitura paulistana voltada para a segurança dos pedestres.

 

Pedaladas por votos

A agenda de José Serra neste fim de semana focou os mesmos eleitores que de seus concorrentes ao cargo. Mais cedo, Gabriel Chalita (PMDB) pedalou de Higienópolis até o Vale do Anhangabaú. Amanhã, será a vez de Fernando Haddad (PT), que deve passar pela Avenida Paulista. Serra negou que o encontro de hoje esteja relacionado à agenda dos outros candidatos. "Nós já tínhamos marcado essa agenda. O tema das bicicletas e da sustentabilidade é um capítulo importante a ser discutido nas eleições", argumentou.

A programação sobre duas rodas também ocorre em meio à polêmica ocorrida no meio da semana, quando uma reportagem do Diário Oficial do Estado (veículo editado pela Imprensa Oficial, empresa do governo paulista) associou o uso de bicicleta a acidentes. A publicação mostrou que 3,4 mil ciclistas foram internados em 2011 nos hospitais estaduais e apresentou o depoimento de um médico do Hospital das Clínicas que desincentivava o uso de bicicletas no trânsito de São Paulo. A reportagem provocou reação entre ciclistas, que contestaram a publicação e defenderam a necessidade de apoio para esse tipo de transporte.

O tucano desqualificou a repercussão envolvendo o Diário Oficial do Estado. "Essa é uma falsa polêmica. Foi apenas uma entrevista com a opinião de um traumatologista. Não é matéria do Diário. Aí a rede suja, que serve ao PT, começou a fazer intriga", rebateu.

Questionado se considera seguro o uso de bicicletas na cidade, Serra respondeu que isso depende do local e das condições. Em seguida, partiu para a pedalada pela ciclovia, reunindo um "comboio" com aproximadamente 45 ciclistas. Entre eles, estavam Alexandre Schneider, seu candidato a vice, e Walter Feldman, um dos coordenadores de sua campanha.

Demagogia

O vereador Aguinaldo Timóteo (PR), da base aliada de Serra, também compareceu ao encontro, mas não participou da pedalada. Antes de o tucano chegar à ciclovia em frente ao metrô Itaquera, Timóteo foi questionado pela imprensa e classificou como "demagogia" o incentivo ao uso de bicicletas no trânsito de São Paulo. "Não tem espaço para fazer faixa especial para ônibus, vão fazer para bicicletas? Isso é uma tremenda demagogia", disparou.

"No fim de semana, quem quiser, que pegue a bicicleta e vá ao Ibirapuera", disse, referindo-se à falta de segurança para se pedalar nas ruas mais movimentadas. Ele acrescentou que os incentivos à bicicleta só serão possíveis quando os cidadãos forem mais educados no trânsito.

Questionado sobre a situação do transporte público na capital paulista, Timóteo revelou que nunca usou o metrô. "Dizem que é uma maravilha, mas eu nunca andei. Seria demagogia, eu tenho automóvel. Não preciso fazer gracinha com eleitor".

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.