Serra: privatização não explica baixo investimento estatal

O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), disse hoje que o processo de privatizações não justifica a queda de investimentos públicos em infra-estrutura nos últimos anos. "O que se dizia, nós dizíamos e eu mesmo dizia, porque presidia o Programa Nacional de Desestatização nos primeiros anos do governo Fernando Henrique Cardoso, era que a privatização iria aliviar e liberar gastos públicos para outras coisas, inclusive para investir", disse. "Ele (investimento público) deveria ter se elevado na área de infra-estrutura."Serra admitiu que as petroquímicas foram vendidas por "nada", mas ressaltou que a privatização das telecomunicações e da área elétrica resultaram em recursos que deveriam ter financiado investimentos, mas que, na prática, financiaram a "sobrevalorização do real e os juros siderais, que continuam acontecendo agora". "Pagamos 8% do PIB com juros. A Itália, com uma dívida pública que era mais que o dobro da brasileira em proporção do PIB, gasta 2%. Portanto esse é um obstáculo ao investimento em infra-estrutura", disse Serra.Ele criticou a isenção do pagamento de Imposto de Renda de investidores estrangeiros que adquirem títulos da dívida brasileira. "É o tipo da medida feita para condições de crise cambial, e não de abundância cambial, que está sobrevalorizando a moeda. Portanto essa sobrevalorização que decorre dos juros para atrair capital é uma política deliberada, não é por acaso", opinou. "É uma política deliberada nesse sentido como forma artificial para se controlar uma suposta inflação. Por isso nós temos as taxas de juros mais altas do mundo, o que evidentemente encarece o investimento privado e a infra-estrutura, porque fixa o ponto de partida e a taxa interna de retorno", acrescentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.