Serra presta solidariedade a Dilma por espionagem

O ex-governador de São Paulo José Serra (PSDB) prestou nesta quarta-feira, 4, solidariedade à presidente Dilma Rousseff no caso das espionagens feitas "de maneira ilegal e ilegítima" pelos Estados Unidos. Segundo Serra, as espionagens não atingiram apenas o governo, "mas todos os brasileiros".

JOSÉ ROBERTO CASTRO, Agência Estado

04 de setembro de 2013 | 16h16

O tucano criticou duramente os americanos, disse que justificativas formais não valem e que a "surrada invocação do combate ao terrorismo" não podem abonar as arbitrariedades praticadas pelos Estados Unidos. "O governo do presidente Obama é o responsável. Pistas sobre o terrorismo mundial em SMS ou e-mails da Dilma? Ridículo", escreveu Serra em sua conta no Facebook, que não tinha posts do ex-governador desde o dia 14 de agosto, quando criticou o projeto do trem bala do governo federal.

Serra termina o texto questionando a postura americana, não somente neste caso. "Quais serão os limites desse poder?"

Mais ainda, ampliando o tema, fico alarmado com esse papel que a democracia norte americana está se atribuindo: de gendarme do mundo. Acontecem coisas lamentáveis num país e as forças armadas dos Estados Unidos vão intervir? Quais serão os limites desse poder?

Mais conteúdo sobre:
espionagemJosé Serra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.