Serra passa o dia em Minas e evita falar de política

De cara fechada e conversando pouco, o ministro da Saúde José Serra, passou parte do dia em Uberaba (MG), onde assinou convênios para ampliação dos hospitais do câncer, da criança e do fogo selvagem. Acompanhado pelo líder do PSDB na Câmara, Jutahy Junior, e do vice líder Narcio Rodrigues, ele se recusou a falar de política. "Estou aqui para fazer saúde", disse.No aeroporto de Uberaba, o clima era de campanha eleitoral: banda de música, fogos de artifício, prefeitos e correligionários vestindo camisetas com dizeres "Eu quero Serra Presidente". Pelo trajeto da caravana, faixas exibiam o slogan "Serra, o remédio que o Brasil precisa".Serra reconheceu que os salários dos servidores da saúde ?são muito ruins?. ?Mas não temos como corrigi-los de uma hora para outra", afirmou. Segundo o ministro, a Saúde é um "saco sem fundo?, que precisa ser constantemente costurado, e pediu aos prefeitos que dêem mais atenção ao atendimento médico familiar. ?Quem fizer um bom trabalho na saúde, merece ser recompensado com o reconhecimento da comunidade", finalizou.AlckminO líder do PSDB na Câmara dos Deputados, Jutahy Junior, foi o único a falar de política, defendendo as críticas que o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, fez à política econômica do País. "O Geraldo é extremamente confiável e deve ser ouvido sempre", comentou.Para Jutahy, o sistema econômico do Brasil precisa de reformas urgentes. Para ele, a reforma tributária não pode ser mais adiada. Comentou que Alckmin está certo e o Congresso precisa mesmo tomar uma atitude. "Tenho sempre uma tendência a ficar próximo a ele (Alckmin) " , completou Jutahy.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.