Serra nega diminuição de verba para dengue

O ministro da Saúde, José Serra, negou hoje que tenha ocorrido diminuição de recursos federais usadas no combate a dengue. Ele também rebateu as informações sobre o aumento do número de casos da doença, que já teria atingindo já 20 estados. "Os números não mostram aumento de casos em relação ao ano passado e é que absolutamente equivocada a idéia de diminuição da verba", disse Serra.A afirmação do ministro contesta as queixas de vários prefeitos, entre eles Marta Suplicy, que vinculam a diminuição de verba ministerial ao crescimento dos casos de dengue. Serra afirmou que são gastos R$ 1 milhão por dia, destinados a estados e municípios no combate à doença. "O que houve foi moleza, frouxidão de alguns prefeitos. Moleza que, por causa da campanha eleitoral ou de outras coisas, largaram o trabalho preventivo", disse.Serra explicou que o combate efetivo se dá durante os meses de inverno, quando o mosquito está na fase de larva, e não só no verão, quando a doença aparece. "Muitas prefeituras largaram o corpo e agora a preocupação é a dengue atrapalhando a saúde e a vida das pessoas. Essa é a realidade", afirmou Serra. Ele destacou que é difícil combater o problema por causa do hábitos errados da população. ?A batalha contra a dengue não se encerra no trabalho das Prefeituras. Ela tem que ser feita nas casas. Mais de 90% da dengue vem do armazenamento de água em pequenas quantidades nos quintais, pneus vazios, em vasos, garrafas velhas, etc", disse Serra.

Agencia Estado,

19 de março de 2001 | 17h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.