Serra não soube avaliar profundidade da crise, diz Dilma

A candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, disse hoje que o presidenciável tucano, José Serra, fez uma avaliação equivocada da crise financeira internacional quando era governador de São Paulo. "Acho que você teve uma avaliação errada da crise e achou que seria mais profunda do que foi", afirmou Dilma, durante debate promovido na capital paulista pelo jornal "Folha de S.Paulo" e pelo portal UOL, criticando a adoção do sistema de substituição tributária pelo governo paulista.

ANNE WARTH E DAIENE CARDOSO, Agência Estado

18 de agosto de 2010 | 12h48

"Até seria (mais profunda), se usássemos os padrões vigentes no governo anterior", disse, acusando o governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso de "quebrar o País" durante sua gestão frente às crises internacionais. Dilma afirmou que o governo federal reduziu impostos durante a crise internacional para estimular o crescimento econômico e disse que a substituição tributária teve efeito contrário, uma vez que o sistema concentra e aumenta a arrecadação em um primeiro momento.

Serra acusou Dilma de se prender ao passado e disse que o governo federal elevou os impostos incidentes sobre os investimentos em saneamento básico e energia elétrica. "Você fica tão ligada para trás, seu espelho retrovisor é maior que o para-brisa." Dilma afirmou que o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva investiu R$ 40 bilhões em saneamento, enquanto o governo FHC não ultrapassou os R$ 300 milhões. "Acho que discutir saneamento era algo que você não deveria tentar", ironizou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.