Serra não comenta taxa de desemprego no governo FHC

O candidato derrotado do PSDB à Presidência da República e José Serra recusou-se hoje a comentar as críticas do governo Lula de que a gestão do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso teria responsabilidade na alta do desemprego. Ao comentar o assunto, o ex-senador disse que passou os últimos seis meses fora do País e que "o desemprego nunca foi tão alto". Mas ao ser perguntado sobre a responsabilidade do governo tucano na taxa de desemprego, Serra encerrou a entrevista coletiva, sem responder à pergunta. Ele participou hoje do encontro do PSDB para discutir a forma de oposição ao governo Lula. Para Serra, seu partido "está inovando" na oposição no Brasil. Segundo ele, "nossa atitude é de crítica, mas para construir não como a crítica que foi feita ao governo Fernando Henrique, mas para ajudar o País a encontrar o caminho do desenvolvimento e do emprego". Serra disse também que a situação do País hoje "está difícil" mas que o papel da oposição "não é colocar fogo". O ex-candidato, que participa do encontro nacional do PSDB no Rio disse que "da minha boca nunca vai sair uma comemoração porque o desemprego está subindo. Nosso papel é fazer cobranças e propostas para que o Brasil saia dessa situação. Não cabe a mim hoje complicar mais, dificultar a vida de ninguém." Serra lembrou que passou os últimos seis meses fora do País e comentou que "o desemprego nunca foi tão alto". Perguntado por um jornalista sobre as afirmações do atual governo de que a gestão anterior teria responsabilidade na atuação da taxa de desemprego, ele encerrou a entrevista, sem responder à pergunta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.