Serra lança cartão SUS e critica a oposição

O ministro da Saúde, José Serra, deu início à operação do cartão SUS (Sistema Único de Saúde), em solenidade numa das unidades de saúde da cidade - a primeira do País a utilizar cartão no atendimento da rede pública. Até o final do ano, prevê-se que 40 municípios estarão operando com o cartão SUS, em 19 Estados, beneficiando 9 milhões de pessoas, que serão atendidas em 1.800 unidades de saúde equipadas com terminais eletrônicos de atendimento. Serra aproveitou o lançamento do cartão, com a presença de pelo menos duas centenas de prefeitos do interior de São Paulo, para fazer um discurso defendendo o setor de saúde no Pais, afirmando que ele precisa ser tido como de primeira classe nas decisões governamentais, como acontece com a área econômica, e criticar os partidos de oposição que, segundo ele, ?falam muito? quando estão fora do poder, mas que se portam como ?coelhinhos? quando são intimidados pelo poder econômico.O ministro fez uma longa exposição sobre as muitas frentes de trabalho que estão sendo desenvolvidas na área de saúde, mas demorou-se na defesa do cartão SUS que, segundo ele, vai democratizar o atendimento médico-hospitalar no setor público, beneficiando a população, e possibilitar um maior controle de ações de saúde. Ele explicou que caso algum município, a partir da implantação do cartão SUS, registre um número elevado de casos de rubéola ou de sarampo, por exemplo, a secretaria de saúde e o governo serão alertados on-line, com tempo suficiente para ativar um programa de vacinação em massa na região. Ele informou que a implantação do cartão em todo o País não esta avançando com a rapidez necessária porque alguns Estados e alguns municípios estão ?fazendo corpo mole?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.