Serra insiste que quebra de sigilo tem fim político

Tucano considerou que o caso do vazamento de dados fiscais é 'história de carochinha'

Wilson Tosta, da Agência Estado

27 de agosto de 2010 | 17h55

RIO - O candidato do PSDB à Presidência, José Serra, classificou hoje de "história da carochinha" a alegação da Receita Federal de que o vazamento de dados fiscais de contribuintes ligados aos tucanos não tem motivação política nem eleitoral. "São fatos, não é uma opinião minha", disse Serra, após participar de palestra na sede do Clube de Aeronáutica, na Praça 15, no centro do Rio de Janeiro.

Hoje, a Receita informou ter identificado um suposto esquema de compra e venda de informações fiscais envolvendo a violação do sigilo fiscal de quatro pessoas ligadas ao PSDB. Porém, o secretário do órgão, Otacílio Cartaxo, e o corregedor-geral, Antônio Carlos Costa d''Ávila, descartaram qualquer interesse político por parte de duas servidoras da delegacia do fisco em Mauá, no ABC paulista, na quebra ilegal dos sigilos fiscais.

Em seu pronunciamento para cerca de 150 pessoas, a maioria militares da reserva, Serra afirmou que se incomoda mais com o passado recente da candidata Dilma Rousseff (PT) do que com o passado mais distante - Dilma participou da luta armada contra o regime militar. Segundo ele, a petista tenta assumir a paternidade de obras e iniciativa que não foram suas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.