Serra insiste em críticas ao plano de Haddad para Saúde

O candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, José Serra, voltou a falar em um segundo evento em Itaquera, que seu adversário nas eleições, Fernando Haddad (PT), vai extinguir o modelo das Organizações Sociais (OS) na gestão das unidades de saúde. Segundo Serra, Haddad não entende de saúde. Para o tucano, Haddad volta atrás em seu programa de governo que prega a retomada da direção pública da saúde na administração. O petista nega que vá extinguir o modelo, mas já afirmou que renovará apenas os contratos que forem "bem-sucedidos". O tucano reiterou que vai reforçar as parcerias com as entidades e garantir emprego a 32 mil funcionários de OS que atuam na rede municipal.

FELIPE FRAZÃO, Agência Estado

20 de outubro de 2012 | 19h37

Serra chamou Haddad de prefeito cata voto eleitoral ao falar sobre a posição da campanha do adversário em negar a extinção das Organizações Sociais. "Agora, evidentemente sai correndo e falando o oposto. Prefeito de cata voto eleitoral", criticou Serra. "Como ele não é do ramo de saúde ele nem sabe que as coisas que ele fala na prática representam essa extinção."

Serra prometeu reformar o hospital Valdomiro de Paula, na região, e fazer com que uma OS o administre. "Imagina se as irmãs marcelinas, nos hospitais que tocam, vão fazer concurso. Elas não vão mandar no hospital. Parceria é parceria", disse Serra. "São 32 mil profissionais de saúde que trabalham nos hospitais, nas Amas, nos PSFs que fazem parceria. Essas pessoas vão ter emprego garantido e a atenção vai continuar."

Trégua

Sobre um acordo de trégua nos ataques proposto por Haddad, Serra disse que o petista não segue o que propõe. "Minha resposta é a seguinte: Eles propõem uma coisa e fazem outra. Perderam quatro representações nossas (na Justiça) por agressões no horário eleitoral. Enquanto isso ficam falando de paz. Só truque para impressionar. É exatamente o oposto. A quantidade de calúnias, agressões e mentiras que o PT faz na campanha do Haddad é inigualável."

Serra visitou redutos eleitorais de candidatos do PPS e do PTB. Durante caminhada em Itaquera, um de seus aliados, o deputado estadual Orlando Morando (PSDB) bateu boca com um eleitor que fazia criticas ao candidato aos berros, dizendo que o tucano abandonou a Prefeitura. O auxiliar de informática Ricardo Nogueira, de 31 anos, afirmou que não tem preferências partidárias: "Esse homem governa para as elites". Ao que Morando respondeu: "Respeito rapaz. Ah, mensaleirinho". Serra também ouviu criticas de outro eleitor revoltado que reclamava de ele levar o prefeito Gilberto Kassab (PSD) no mesmo palanque que o governador Geraldo Alckmin (PSDB).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.