Serra foi comunicado na quarta-feira sobre anúncio de Aécio

Paulista foi convidado a participar de pronunciamento em que mineiro disse ter desistido de pré-candidatura

Raquel Massote, da Agência Estado,

17 de dezembro de 2009 | 19h06

O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), foi informado na noite de quarta-feira, 16, por telefone, de que seu colega mineiro Aécio Neves anunciaria sua desistência da pré-candidatura tucana à sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Serra chegou a ser convidado a participar do pronunciamento, feito na tarde desta quinta-feira, 17, segundo informou o secretário-geral da legenda, deputado federal Rodrigo de Castro (MG). De acordo com ele, Aécio não disse a Serra, no entanto, qual seria o teor das declarações. Por sua vez, Serra justificou que não poderia comparecer devido a compromissos já agendados.

 

Veja Também

linkAécio desiste de pré-candidatura à presidência pelo PSDB

blog JOÃO BOSCO RABELLO: Aécio abre caminho para a chapa puro-sangue

blog JOSÉ ROBERTO TOLEDO: 'PSDB perde seu presidenciável mais governista'

documento Leia a íntegra da carta de desistência de Aécio

 

Segundo Castro, a decisão do governador mineiro, no entanto, não significa que o partido já tenha definido seu candidato e exerce uma pressão sobre Serra para que ele decida logo se irá ou não disputar a Presidência da República em 2010. "O partido ainda não tem candidato. É claro que há um caminho aberto agora para o governador José Serra, mas a decisão de candidatura depende do candidato e o que se espera é uma declaração do governador", disse ele.

Por conta não só da decisão de Aécio, mas também por causa da antecipação do calendário eleitoral, com os acordos firmados pelo PT em busca de apoio à pré-candidatura da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, o PSDB, de acordo com Castro, será levado "a tomar uma decisão o mais rápido possível, não apenas para a construção das alianças em torno do projeto nacional, mas também para a montagem dos palanques regionais".

Castro reforçou que o timing foi justamente o que mais contribuiu para que Aécio decidisse abrir mão da pré-candidatura. Em suas últimas entrevistas, o governador mineiro repetiu que o tempo estava se esgotando para que a construção de uma aliança mais ampla em torno da candidatura da sigla. Pela manhã, Aécio entregou ao presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), e ao próprio Rodrigo de Castro o texto do pronunciamento que faria à tarde. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.