Serra espera que CPI do Cachoeira atue sem blefes

O pré-candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, José Serra, disse na noite desta quarta-feira esperar que a CPI do Cachoeira atue sem "blefes" e "chantagens". Após visita a uma faculdade privada de Brasília, ele evitou comentar a situação de tucanos citados nas denúncias da máfia do caça-níquel e disse não se sentir constrangido com as acusações contra representantes de seu partido. Serra disse que a CPI é um fato. "A CPI tem vida própria a partir de agora."

LEONENCIO NOSSA, Agência Estado

25 de abril de 2012 | 21h32

Ao ser questionado sobre as denúncias contra o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), Serra disse que não há ligações do colega de partido com o esquema de irregularidades. "Não vi nada que o comprometesse", afirmou. "Só vi até agora zunzunzum", completou. Ele disse que a citação de assessores de Perillo no relatório da operação Monte Carlo, da Polícia Federal, não configura um envolvimento "direto" do governador.

Serra esteve na faculdade para participar de uma homenagem ao ex-ministro da Defesa e da Justiça Nelson Jobim. Em seu discurso, Serra ressaltou que a "humildade" é uma característica da personalidade de Jobim, demitido no ano passado do cargo de ministro da Defesa após sugerir em discurso que tinha de aturar "idiotas" no governo.

Tudo o que sabemos sobre:
CPI do CachoeiraJosé Serra

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.