Serra: escândalos não podem ser vistos como 'naturais'

O candidato à Presidência da República pelo PSDB, José Serra, disse hoje que nenhum país vai para o primeiro mundo mergulhado em escândalos no coração do governo. A resposta foi dada após o tucano ser perguntado sobre o caso que apura a conduta ética da ex-ministra da Casa Civil Erenice Guerra, que deixou o cargo ontem após ser atingida por denúncias de tráfico de influência. "Nós temos a oportunidade de dar um basta nisso, pois isso não pode ser encarado como algo natural", afirmou ele, em Aracaju.

ANTÔNIO CARLOS GARCIA, Agência Estado

17 de setembro de 2010 | 18h39

Serra desembarcou no Aeroporto Santa Maria, na capital sergipana, no final da tarde de hoje. Devido ao horário, uma caminhada que estava programada na cidade foi cancelada. Após a chegada, o candidato saiu em carreada até a sede do partido, no centro da capital do Estado. Serra participa ainda hoje de um comício e de uma caminhada em Itabaiana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.