Serra é saudado por peemedebistas em homenagem a Quércia

Chalita vai embora de cerimônia antes de o candidato tucano ser prestigiado

Felipe Frazão e Bruno Boghossian - O Estado de S. Paulo,

17 de agosto de 2012 | 16h57

O candidato do PSDB a prefeito de São Paulo, José Serra, foi saudado pela ala quercista do PMDB na manhã desta sexta-feira, dia 17, durante a cerimônia de inauguração de um busto do ex-governador Orestes Quércia, morto em 2010, no Centro Empresarial São Paulo, zona sul da capital paulista. Serra recebeu cumprimentos de correligionários e familiares de Quércia, como a viúva Alaíde e os filhos, minutos depois de o candidato peemedebista à Prefeitura, Gabriel Chalita, ter ido embora da homenagem antecipadamente para fazer uma caminhada de campanha na Mooca, zona leste. Eles não se encontraram.

Chalita, que havia recebido o apoio de dois dirigentes do diretório tucano do Jabaquara na um dia antes, sabia que Serra prestigiaria a família Quércia e não esperou a cerimônia. Afirmou que estava atrasado para o corpo a corpo na zona leste. Ele esteve por cerca de vinte minutos em espaço reservado com os filhos e a viúva de Quércia, ao lado também do prefeito Gilberto Kassab (PSD) - que foi apoiado por Quércia -, da vice-prefeita Alda Marco Antonio (PSD) - que deixou o PMDB por divergência com o candidato -, do senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB) e do ex-governador Alberto Goldman (PSDB). O marqueteiro Elsinho Mouco foi o único peemedebista da campanha a circular com Chalita.

Ao ir embora, Chalita comentou rapidamente o resultado da pesquisa Ibope que apontou ontem Serra empatado com Celso Russomanno (PRB) na liderança das intenções de voto (26%). "Foi ótimo", disse Chalita, que aparece em quarto, ao lado de Soninha (PPS) e Paulinho (PDT) - todos com 5% e atrás de Fernando Haddad (PT), que tem 9%. A pesquisa mostrou que os eleitores estão mais bem informados sobre os candidatos e, na declaração de voto espontânea, Serra tem um ponto a menos que Russomanno.

Nem Serra, nem Chalita haviam divulgado o compromisso público em agenda política de campanha. A assessoria de Chalita afirmou que a presença dele não estava confirmada, apesar de dezenas de cabos eleitorais do candidato estarem a postos empunhando bandeiras em frente ao local do evento. Apoiadores de Chalita, como o deputado estadual Jooji Hato e o ex-secretário de Transportes Getúlio Hanashiro, foram ao encontro, mas não ficaram ao lado do candidato. Pelo lado tucano, também comparecem o coordenador da campanha serrista Edson Aparecido, o governador Geraldo Alckmin e a primeira dama, Lu Alckmin. Amigos declarados, o casal Alckmin não encontrou Chalita.

Kassab disse, em discurso, que Quércia foi um "grande amigo e parceiro", com visão desenvolvimentista. Alckmin destacou que teve o apoio de Quércia na campanha de 2010, meses antes de ele falecer. "Grande líder do municipalismo. Teve papel fundamental na redemocratização", destacou o tucano.

Alda Marco Antonio foi mais provocadora ao discursar como representante dos amigos de Quércia. Ela fez questão de citar qual seria a posição do ex-governador nas eleições municipais deste ano, caso fosse vivo. "Ele estaria no Senado e nos palanques do Serra, apoiando o Serra a prefeito. O candidato Serra, nosso grande amigo", afirmou a atual vice, que havia sido cotada para compor a chapa do tucano e pode receber agora convite para integrar a campanha dele na semana que vem.

Alda reclama que Chalita critica a sua gestão na Assistência Social da Prefeitura sem dar informações corretas. Ela diz que ele usa como bons exemplos entidades conveniadas que recebem verbas públicas para prestar serviços à rede municipal, como a Obra Social Dom Bosco e o Arsenal da Esperança. Porém omite o fato.

"Ele veio sozinho. Da nova direção do partido só veio ele. Candidato não pode perder chance, né?", disse Alda.

Chalita enfrenta resistência a sua candidatura dentro do partido. Quando assumiu a presidência municipal do PMDB, ele afastou os partidários de Quércia da direção. Mas, nesta quinta-feira, cumprimentou todos, inclusive o ex-presidente do diretório paulistano e ex-secretário municipal de Esportes, Bebetto Haddad, que resistiu à Chalita e pediu desfiliação do partido segunda-feira para ajudar a campanha de Serra. Chalita abraçou também o ex-secretário adjunto de Bebetto, Gilberto Nucci, que ficou no PMDB, mas fará a campanha do partido em Santo André, a convite do candidato Nilson Bonome - também presidente da Fundação Ulysses Guimarães.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições 2012SPSerraChalita

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.