Serra e Haddad evitam comentar caso de suposto dossiê

Ambos alegaram desconhecer reportagem que mostra braço direito de Dilma como organizadora do documento

CAROLINA FREITAS, Agencia Estado

28 de março de 2008 | 15h46

O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), e o ministro da Educação, Fernando Haddad, não quiseram comentar nesta sexta-feira, 28, o caso do suposto dossiê sobre gastos do governo  Fernando Henrique Cardoso .   Veja também:   Dilma admite 'banco de dados' sobre FHC e nega dossiê Briga entre FHC e Lula antecipa debate sobre sucessão IMAGENS: Os momentos de 'amor e ódio' de FHC e Lula  ENQUETE: A CPI dos Cartões deve quebrar sigilo de Lula e FHC?  Entenda a crise dos cartões corporativos   FHC cobra dados de cartão de Lula, que reage e diz que fará sucessor Em sessão marcada por bate-boca, CPI rejeita convocação de Dilma   Ambos alegaram desconhecimento da reportagem publicada nesta sexta no jornal Folha de S.Paulo que aponta a secretária-executiva da Casa Civil e braço direito da ministra Dilma Rousseff, Erenice Guerra, como responsável pela execução de um levantamento sobre o governo anterior.    "Não vou comentar o caso. Não li com detalhes o noticiário e não entendi bem as implicações de todas essas notícias", argumentou o governador, em evento de assinatura do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE), no Palácio dos Bandeirantes, na capital paulista."Não farei comentários, muito menos em um evento com o MEC", disse. Haddad também se esquivou: "Cheguei ontem à noite (de Brasília) e às 7 horas já estava dando entrevista em uma rádio. Realmente não pude saber detalhes". A ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, negou hoje que o governo tenha feito um dossiê e argumenta tratar-se apenas de um banco de dados com informações sobre despesas feitas nas contas B.

Tudo o que sabemos sobre:
DossiêFHCDilma RousseffLulaPSDB

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.