Serra e Dilma empatam em 37%, diz Datafolha

Primeira pesquisa após propaganda com a participação de Lula mostra que vantagem do pré-candidato tucano caiu de 12 pontos para zero

Daniel Bramatti / SÃO PAULO, O Estado de S.Paulo

23 Maio 2010 | 08h33

 

A primeira pesquisa a captar por completo os efeitos da propaganda partidária do PT em rede nacional de rádio e TV mostra Dilma Rousseff empatada com José Serra na corrida presidencial. Segundo o instituto Datafolha, ambos têm 37% das intenções de voto.

 

Veja também:

https://politica.estadao.com.br/estadao/novo/img/icones/mais_azul.gif Eleitorado ‘fiel’ a Lula supera o que declara intenção de voto em Dilma

 

Em comparação com o levantamento feito pelo Datafolha há pouco mais de um mês, o pré-candidato do PSDB caiu cinco pontos, e a representante do PT subiu sete. Marina Silva, do PV, ficou estável, com 12% das preferências.

 

Os números se referem ao cenário com apenas três nomes - esta é também a primeira pesquisa do Datafolha após a saída de Ciro Gomes (PSB) da disputa. Quando os chamados "nanicos" são incluídos, Serra e Dilma empatam em 36%, e Marina aparece com 10%. Na simulação de segundo turno, um novo empate técnico: a petista com 46% e o tucano com 45%.

 

A ex-ministra da Casa Civil aparece na frente na pesquisa espontânea, feita antes de os entrevistados terem acesso a uma lista com os nomes dos candidatos. Ela tem 19% nessa modalidade, cinco pontos a mais do que Serra. Outros 9% citam "Lula", "o candidato do Lula" ou "o candidato do PT" na sondagem espontânea.

 

Na semana passada, o PT exibiu um programa de 10 minutos em que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva relacionou Dilma a programas de sua gestão, como o Luz para Todos e o Bolsa-Família. Ao mencionar indiretamente a prisão da petista quando atuava na guerrilha contra o regime militar, Lula chegou a compará-la ao líder sul-africano Nelson Mandela, "que só foi para o confronto porque não deram outra saída" e que "virou um dos maiores símbolos da paz e da união no mundo".

 

Nos dias 6, 8 e 11, o PT exibiu também a pré-candidata em 30 inserções de 30 segundos distribuídas ao longo da propaganda das emissoras de rádio e TV.

 

Os institutos Sensus e Vox Populi já haviam apresentado Dilma e Serra em situação de empate técnico, sem captar totalmente a influência da propaganda petista - seus entrevistadores foram a campo entre os dias 8 e 14 de maio, enquanto a pesquisa Datafolha foi feita nos dias 20 e 21.

 

A força de Lula como cabo eleitoral na TV foi posta à prova no momento em que a avaliação positiva de seu governo voltou ao nível recorde de 76%, segundo o Datafolha. O índice de atribuições "ótimo" e "bom" chegou a 76% em março, mas recuou para 73% em abril. Em maio, apenas 5% dos entrevistados consideraram o governo "ruim" ou "péssimo". A nota do presidente, em uma escala de zero a 10, chegou a 8, nível não alcançado desde o início de sua gestão.

Mais conteúdo sobre:
José Serra Dilma Rousseff

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.