Serra e Cid Gomes fazem acordo tributário

Acerto prevê ganho de R$ 55 milhões para o Ceará, com cobrança de ICMS de 11 itens na origem

Carmen Pompeu, O Estadao de S.Paulo

15 de março de 2008 | 00h00

Os governadores de São Paulo, José Serra (PSDB), e do Ceará, Cid Gomes, (PSB) assinaram ontem um protocolo para substituição tributária de 11 segmentos de comércio entre os dois Estados. Com o acordo, a cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) desses itens, entre os quais se incluem produtos eletroeletrônicos, passa a ser feita na produção, ou seja, na indústria, e não no setor de comercialização. "Objetivamente, esse convênio sobre impostos vai permitir para o Ceará arrecadar R$ 55 milhões a mais por ano. No futuro, São Paulo vai também fazer esse acordo de volta. No sentido de que produtos vendidos de um Estado a outro tenham sua arrecadação feita totalmente na origem", afirmou Serra.De acordo com ele, nesse primeiro momento, São Paulo não sai ganhando nada em termos financeiros. "Mas ganha em aproximação, em troca de idéias entre as Fazendas dos dois Estados", explicou.Indagado se essa "bondade" não teria relação com a eleição presidencial de 2010, ele respondeu: "Não é uma bondade de José Serra. É uma atitude que eu tenho sempre quando estou à frente de uma administração. É uma atitude em função do bem comum, do interesse público. Nessa perspectiva, não olho cores partidárias."CIROO governador paulista estava acompanhado do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), que sempre teve uma relação de amizade com a família de Cid Gomes, irmão do deputado Ciro Gomes (PSB), um tradicional desafeto de Serra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.