Serra e Aécio apostam em reviravolta para aprovar CPMF

Dois dos principais governadores do PSDB acreditam que os senadores tucanos ainda podem rever voto contra

Rodrigo Viga Gaier , REUTERS

29 de novembro de 2007 | 18h04

Apesar de a bancada de senadores tucanos garantir que votará contra a continuidade da CPMF, dois dos principais governadores do PSDB ainda acreditam numa reviravolta. "Nós estamos conversando internamente este assunto e acho que é um problema extremamente relevante", disse José Serra, governador de São Paulo, alertando que o assunto vem sendo tratado pelos senadores. Ele afirmou que há uma "posição afinada" entre todos os governadores tucanos --além dele, Aécio Neves (MG), Yeda Crusius (RS), Cássio Cunha Lima (PB) e Teotônio Vilela Filho (AL). "Todos os governadores do PSDB têm um entendimento a esse respeito", disse Serra.   Veja também:  Entenda a cobrança da CPMF  'Quem tem medo da CPMF é quem sonega', acusa LulaPara evitar derrota da CPMF, governo monta 'sala de situação'Lula diz que a emenda da CPMF 'vai passar' no SenadoLula critica DEM e diz que 'povo pobre' sofrerá sem CPMFDEM diz que Lula é 'arrogante' e condena 'gastança imoral' Mantega diz que governo não tem plano B para o caso de CPMF não ser aprovada As declarações desta tarde do governador paulista contrastam com suas manifestações recentes, como no congresso do PSDB na semana passada, em que dizia que o tema da CPMF estava restrito aos senadores da legenda. Em Belo Horizonte, Aécio voltou a cobrar propostas do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que o partido aprove a CPMF, apesar de as negociações entre a Fazenda e os senadores ter sido suspensa por falta de acordo. "É preciso que o governo decida se efetivamente quer fazer gestos claros, por exemplo, no aumento dos recursos para a saúde não para o próximo governo, mas já a partir do próximo ano, para que nós passamos discutir a possibilidade de reabrir isso internamente", afirmou o governador mineiro. Aécio depositou a decisão sobre a CPMF nos senadores, mas, como Serra, disse que "os governadores estão discutindo isso internamente". Dos cinco governadores tucanos, Cunha Lima é o que tem a postura mais clara. Na semana passada, ele disse que, enquanto todos os governadores tucanos defendem a permanência da CPMF, os senadores "fazem ouvido de mercador". Serra participou, junto com o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), de assinatura de protocolo de intenções para a construção de um trem de alta velocidade ligando São Paulo ao Rio de Janeiro. Cabral anunciou que vai liderar uma frente de prefeitos do Estado do Rio pró-continuidade da CPMF. A manifestação está marcada para esta sexta-feira, quando o presidente Lula cumpre agenda no Rio.

Tudo o que sabemos sobre:
POLITICASERRA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.