Serra diz que Record quer proteger Russomanno ao cancelar debate

Emissora diz ter desistido de transmitir debate porque ambos os candidatos não estariam presentes e que objetivo ‘claro e imparcial’ era garantir espaço de todos

Pedro da Rocha e Bruno Boghossian - atualizado às 18h18

26 de setembro de 2012 | 17h08

O candidato do PSDB a prefeito de São Paulo, José Serra, acusou a TV Record de proteger o candidato Celso Russomanno (PRB) ao cancelar um debate que estava marcado para a próxima segunda-feira, dia 1º de outubro. Serra negou que tenha recusado participação no encontro, apesar de emissora alegar que a equipe do tucano não participou das negociações sobre as regras do programa.

"Eles (TV Record) estão querendo defender o Russomanno que não quer debater, então estão inventando isso. Não houve negativa. A Record cancelou o debate para proteger o Russomanno", disse Serra em caminhada na região do Tatuapé, na zona leste. "O Russomanno para fazer campanha tem que estar protegido. Ele não tem muitas ideias, é muito vulnerável, despreparado, então se é exposto fica fragilizado."

Serra também atrelou Russomanno à Igreja Universal, que tem cargos na direção do PRB e comanda a TV Record.

"A Universal não está protegendo (Russomanno), está fazendo a campanha dele. Não é um problema religioso, simplesmente faz a campanha", afirmou.

A Record afirmou na manhã desta quarta-feira, 26, que desistiu de organizar o debate pois Russomanno e Serra não estariam presentes. A emissora afirmou que "os responsáveis pela campanha de José Serra não responderam aos convites para a negociação de regras e acordos do debate", e acrescentou que "os convites foram feitos de acordo com a legislação eleitoral e protocolados na sede do partido do candidato, na coordenação de campanha e na Justiça".

A campanha de Serra nega que tenha recusado o convite para o debate, mas também não participou das negociações sobre as regras do debate. Em conversas reservadas, integrantes da equipe tucana criticavam a conduta da Record na cobertura eleitoral e apontavam que a emissora tende a beneficiar Russomanno. Seu partido, o PRB, é controlado por ex-dirigentes da emissora e da Igreja Universal, que é dona da TV.

Em nota, a equipe tucana também responsabilizou a emissora e Russomanno pelo cancelamento do debate. O texto alega que o tucano jamais se recusou a participar do programa e afirma que o PRB é "notoriamente ligado à Rede Record e à Igreja Universal".

"O lamentável cancelamento foi uma decisão exclusiva da Record, e assim deve ser assumido. José Serra esteve presente a todos os debates promovidos nesta eleição, assim como os demais concorrentes. A exceção foi o candidato Celso Russomanno, do PRB, partido que é notoriamente ligado à Rede Record e à Igreja Universal", diz a campanha do PSDB.

Os tucanos também afirmam que Russomanno se recusou a participar de debates promovidos pela Arquidiocese de São Paulo e do jornal Folha de S.Paulo.

"A decisão de Russomanno de faltar aos debates e a decisão da Rede Record de não mais realizar o programa previsto para o dia 1º de outubro não podem ser imputadas a qualquer outra candidatura. Muito menos a Serra, que, vale reiterar, sempre compareceu a todos os debates, nesta e em eleições anteriores. A Record e Russomanno devem assumir a decisão de cancelamento sem tentar jogá-la nas costas de terceiros", completa o texto da equipe de Serra.

Em nova nota, enviada no fim da tarde desta quarta, a Rede Record rebateu as declarações de Serra e enviou os convites que teriam sido feitos ao candidato e protocolados no PSDB e na Justiça Eleitoral. "No documento, protocolado no PSDB, informamos que a falta de manifestação da candidatura colocava em risco a realização do debate", diz a nota, que reafirma não ter recebido resposta dos responsáveis pela campanha do tucano.

Ainda segundo a emissora, o objetivo era garantir espaço igual aos candidatos. "Nosso objetivo claro e imparcial desde o primeiro momento era garantir ao candidato José Serra o mesmo espaço oferecido aos outros sete candidatos", informou. A Rede Record explicou que, com a "impossibilidade de participação" de Russomanno, a emissora decidiu cancelar o debate já que "dois dos três mais bem colocados candidatos nas últimas pesquisas eleitorais" não participariam.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.