Epitácio Pessoa/AE
Epitácio Pessoa/AE

Serra diz que prefeitura não pode servir de curso para aprender a governar.

Discurso é tentativa do tucano de se blindar de ataques dos adversários que apostam no discurso da renovação

Felipe Frazão, de O Estado de S.Paulo

30 Maio 2012 | 18h58

Pré-candidato a prefeito de São Paulo pelo PSDB, José Serra resolveu atacar, ainda que veladamente, a falta de experiência em cargos de chefia no Executivo de seus principais adversários políticos na corrida eleitoral. Sem citar nomes, o ex-prefeito paulistano, ex-governador do Estado e ex-ministro da Saúde disse nesta quarta-feira, 30, que a prefeitura não pode servir de curso para ninguém aprender a governar. Segundo Serra, o prefeito eleito tem de "saber o que fazer em cada área" desde o dia da posse.

"Governo não é curso de graduação ou pós-graduação. A pessoa vai lá e depois de um ano diz 'ah, eu aprendi etc e tal'. Ninguém vota em você para que você aprenda. Votam para que você realize as coisas que disse que ia fazer a partir do primeiro dia. Essa, aliás, é a minha marca", afirmou Serra depois de participar de uma sabatina nos estúdios do canal de televisão SBT, na zona norte da capital paulista.

De todos os pré-candidatos apresentados pelos partidos para a sucessão do prefeito Gilberto Kassab (PSD), Serra é o único que já ocupou o posto de comando nos Executivos municipal e estadual.

O ex-ministro Fernando Haddad (PT) e deputado federal Gabriel Chalita (PMDB), concorrentes diretos com mais minutos próprios de propaganda no horário eleitoral gratuito de rádio e televisão, devem estrear este ano na disputa pelo cargo. Partidários de ambos apostam exatamente na exposição massiva na TV para que eles consigam melhorar o desempenho nas pesquisas de intenção de voto antes da eleição.

Aos 70 anos, Serra é o pré-candidato com mais idade na disputa pela Prefeitura de São Paulo. Ele tenta se blindar de ataques dos adversários que apostam no discurso da renovação e dizem ele é um político ultrapassado. O tucano fechou com a coordenação de campanha e com a ala jovem do partido a estratégia de classificá-lo como um gestor inovador - além de agora passar a valorizar a própria experiência de governante. A juventude tucana diz que "Serra só é jovem há mais tempo".

"Adversário joga tudo e tem o direito de dizer qualquer bobagem", disse Serra. "Pode ter gente que fez tanto, mas ninguém que fez tanta inovação, teve tanta ideia nova quanto eu."

Coligações. Serra não acredita que o julgamento do mensalão afete negociações de aliança com o PR. O partido tem quadros que são réus no processo, entre eles o líder nas conversas com o PSDB, Valdemar Costa Neto.

Mais conteúdo sobre:
Eleições 2012 José Serra PSDB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.