Serra diz que não fará oposição do ?quanto pior melhor?

O ex-candidato à presidência da República do PSDB José Serra disse em encontro nacional do seu partido no Rio definiu como pretende fazer oposição ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Tenho o conforto de oferecer ao governo Lula algo que não foi oferecido ao governo Fernando Henrique e que, se eu fosse eleito, não teria, que é a tolerância e o comportamento de uma oposição que não é aquela do quanto pior melhor". A palestra de Serra foi fechada à imprensa, mas suas afirmações foram reveladas por um de seus principais assessores, Teodomiro Braga. Segundo o assessor, Serra disse também que não há continuidade de iniciativas do governo Fernando Henrique na atual administração. "Quando se diz que há continuidade, é um equívoco. O programa do PSDB era de desenvolvimento e crescimento. Não devemos ter nenhum complexo em relação ao nosso passado, se alguém tem que ter problemas com o passado, é quem está no poder", disse Serra, segundo revelou o assessor. Serra disse também aos tucanos reunidos no Rio, que o desafio do PSDB agora é defender um modelo de oposição no Brasil. "Para ser um governo eficiente, tem que ter uma boa oposição, com dever de crítica e cobrança", disse. Serra disse também que o PSDB tem que cobrar responsabilidades do Executivo e evitar "um retrocesso nos avanços dos últimos anos". O ex-candidato do PSDB disse ainda que a questão chave para o Brasil agora é a questão externa, com aumento de exportações e acúmulos de reservas. José Serra vai fazer uma exposição de suas idéias à imprensa, mas já adiantou que não responderá perguntas, porque prefere não conceder imediatamente entrevista após os sete meses em que ficou nos Estados Unidos. O senador Tasso Jereissati (PSDB) chegou ao encontro e deverá conceder entrevista à imprensa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.