Serra diz que não fala de 'vaivém' das pesquisas

O candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra, recusou-se a comentar o resultado da pesquisa do Ibope, encomendada pelo jornal "O Estado de S. Paulo" e pela TV Globo, divulgada na noite de sexta-feira e que o deixou a cinco pontos porcentuais de sua principal adversária, a petista Dilma Rousseff. Pela primeira vez, o tucano aparece atrás da candidata do PT em uma sondagem do instituto, fora a margem de erro de dois pontos porcentuais para cima ou para baixo. De acordo com o Ibope, Dilma está com 39% nas intenções de voto, contra 34% de Serra.

ALFREDO JUNQUEIRA, Agência Estado

31 Julho 2010 | 13h15

Ao contrário do presidente de seu partido, Sérgio Guerra, que ontem mostrou preocupação com o resultado, Serra disse que não comenta "pesquisa em nenhuma situação, porque é um vaivém. Cada dia tem uma pesquisa, cada dia é um resultado. Eu não comento porque pesquisa vai, pesquisa vem, e o importante é a pesquisa da urna". Serra participou de caminhada na periferia da cidade de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Ele estava acompanhado do prefeito do município e presidente do PSDB fluminense, José Camilo Zito, e de seu candidato a vice, o deputado federal Indio da Costa (DEM).

O candidato do PSDB prometeu que, se eleito, vai instalar policlínicas na região, criará unidades específicas para realização de exames médicos, transformará os trens urbanos que atendem a Baixada Fluminense em metrô de superfície e investirá em programas de ensino técnico e profissionalizante.

A caminhada foi organizada por Zito, que em um trio elétrico pedia votos para sua mulher e filha, candidatas à Assembleia Legislativa e à Câmara dos Deputados, respectivamente, e para Serra. Apesar do PSDB no Rio oficialmente apoiar a candidatura do deputado federal Fernando Gabeira (PV) ao governo, Zito não citou o nome dele nenhuma vez. Mesmo o material de campanha espalhado pelas ruas não fazia qualquer alusão ao candidato verde. Os aliados do prefeito e a estrutura do PSDB na cidade estão a serviço da candidatura de Sérgio Cabral Filho (PMDB), que busca a reeleição apoiado pelo presidente Lula. Serra chegou quando a caminhada já percorria as ruas da cidade há mais de duas horas. Ficou no local durante pouco mais de uma hora. O tucano não quis falar no microfone e passou o tempo todo cumprimentando moradores que acompanhavam o evento da porta de suas casas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.