Serra diz que interpelação judicial do PT é 'factoide'

O pré-candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra, disse hoje, em Campina Grande (PB), que o PT tenta criar um factoide quando anuncia que vai interpelá-lo judicialmente para que prove que a pré-candidata petista, Dilma Rousseff, elaborou um dossiê contra ele. "Isso é factoide para enganar a imprensa", declarou Serra em entrevista à rádio 98 FM, do Sistema Correio de Comunicação.

ADELSON BARBOSA DOS SANTOS, Agência Estado

04 de junho de 2010 | 19h46

Segundo ele, quem tem que de se explicar é o PT e a ex-ministra Dilma Rousseff. Serra afirmou que o PT "tem tradição nessa matéria" de criar dossiê. A verdade, de acordo com ele, é que "foi descoberto um esquema de dossiê fajuto e difamante da parte deles". O presidenciável disse que não é a primeira vez que o PT cria dossiê contra ele.

"Você lembra que isso ocorreu em 2006? Lembra do dossiê dos aloprados? Era contra mim, que era candidato a governador de São Paulo", disse o pré-candidato do PSDB, acrescentando que os responsáveis pelo "dossiê dos aloprados" foram presos. "Pegaram eles com R$ 1,7 milhão", declarou. Segundo ele, o PT, na tentativa de desviar o foco do noticiário, "cria factoide deste tipo". "Eles (os petistas) é que têm de explicar o que está acontecendo, e não os outros, que são vítimas."

Serra chegou a Campina Grande por volta das 13h20. Do aeroporto, seguiu para entrevistas a duas emissoras de rádio. Ele disse que o Brasil tem uma dívida com a Paraíba que ele pagará, se for eleito. A dívida, segundo o pré-candidato, diz respeito à falta de um investimento grandioso do Governo Federal, como aconteceu nos vizinhos Estados do Ceará e Pernambuco.

O tucano também voltou a prometer que, se eleito, vai criar uma bolsa complementar ao programa Bolsa Família, para incentivar os adolescentes matriculados em escolas profissionalizantes. Afirmou que outra prioridade será o Programa de Saúde na Família (PSF).

Ele disse ainda que pretende exigir dos laboratórios farmacêuticos uma parceria que contemple os médicos do PSF em todo o País. A ideia, segundo ele, é transformar o PSF em uma espécie de residência médica, com o apoio financeiro dos grandes laboratórios.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçãoSerrafactoidedossiê

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.