Serra diz que há 'fantasia' em projetos de rivais para a zona leste

Principais candidatos apresentaram propostas para reduzir impostos de empresas que se instalem na região

Bruno Boghossian, de O Estado de S. Paulo

15 de agosto de 2012 | 17h01

O candidato do PSDB a prefeito de São Paulo, José Serra, chamou de "fantasia" as propostas feitas por seus adversários para reduzir impostos de empresas que abram postos de trabalho na zona leste da cidade. Os alvos das críticas são os projetos apresentados pelos principais candidatos da eleição municipal para expandir a economia da região.

"Quando se fala em desenvolvimento da zona leste, tem muita fantasia, muita elocubração. Na prática, o desenvolvimento se faz abrindo a zona leste para a região do ABC, concluindo o trecho leste do Rodoanel e proporcionando melhores condições de movimentação para as pessoas" disse Serra, durante um almoço organizado pela Câmara Portuguesa. "Além de fazer esses investimentos, a parte tributária é muito modesta. O essencial são os investimentos públicos na área viária e na área de qualificação."

Na última segunda-feira, 13, o candidato do PT, Fernando Haddad, apresentou um plano de governo que tem entre as propostas o investimento no sistema viário e a redução de impostos para as empresas que abrirem unidades na zona leste.

No debate com empresários na tarde desta quarta-feira, Serra citou como prioridade para o município a realização das operações urbanas, que incentivam o desenvolvimento imobiliário em algumas regiões da cidade. Haddad havia dito que pretende rever esses projetos, iniciados pela atual gestão.

Serra ouviu mais uma vez uma pergunta sobre sua intenção de cumprir na íntegra o mandato, se for eleito. "Pode estar certo de que eu vou cumprir o mandato inteiro", respondeu, destacando que não pretende disputar o governo ou a Presidência da República em 2014. Em 2006, quando era prefeito, o tucano renunciou para disputar o governo de São Paulo. Gilberto Kassab (PSD), que era seu vice, assumiu o município.

O candidato, que defende a gestão de Kassab, admitiu que a cidade enfrenta problemas em algumas áreas, como o trânsito. "A questão do transporte é crítica em São Paulo. Na verdade, se você pegar os números desde 2004, vai ver que não piorou, mas também não melhorou", disse.

Serra também admitiu que pretende criar uma secretaria municipal para conceder licenças e alvarás em São Paulo. A administração de Kassab enfrenta denúncias de corrupção no sistema de licenciamento para obras e estabelecimentos comerciais.

Diante de empresários ligados a grupos portugueses, Serra evitou prometer a inclusão do pão francês na merenda escolar, como pediu um dos convidados do almoço. "Há um problema de ordem técnica, pois há uma licitação", explicou. "Mas eu, se comesse merenda, também preferiria ter o pãozinho francês.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2012SPPSDB-SPJosé Serra

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.