Serra diz que ficará longe de 'bate-boca eleitoral' e 'baixaria'

Governador de São Paulo evitou comentar o clima de guerrilha instalado entre PT e PSDB

Carolina Freitas, da Agência Estado,

20 de janeiro de 2010 | 18h22

Em meio ao fogo cruzado entre governo e oposição de olho nas próximas eleições presidenciais, o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), provável candidato tucano ao Planalto, se adiantou nesta quarta-feira, 20, às perguntas dos jornalistas e evitou comentar o clima de guerrilha instalado entre PT e PSDB.

 

Veja Também

linkAécio nega fim do PAC em possível governo tucano

linkGuerra responde ao PT e diz que sigla faz 'terrorismo eleitoral'

link'PSDB perdeu oportunidade de ficar calado', diz Berzoini

linkMinistra usa tom nacionalista em inauguração

linkSerra diz não fazer propaganda com a máquina

linkLula quer o máximo de inaugurações até março

linkPresidente diz estar certo de que fará sucessor

linkAliados investem na 'mineirização' de Dilma

link'Nunca se combateu tanto a corrupução'

 

"O que eu estou fazendo é me concentrar no meu trabalho de governador. Não vou entrar em nenhum bate-boca eleitoral, pré-eleitoral, de baixaria. Não há a menor possibilidade", disse, depois de cinco minutos de entrevista coletiva durante a qual se limitou a responder sobre o programa da Secretaria dos Esportes que acabara de anunciar. Em seguida, encerrou a entrevista e se retirou da sala onde estavam os jornalistas, sem responder aos questionamentos sobre a que "baixaria" se referia.

 

Tucanos e petistas estão em atrito desde a fala da pré-candidata do PT, a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff (PT), na última terça-feira, 19), em Minas Gerais. Ela disse que, uma vez no poder, a oposição acabaria com projetos criados no governo de Luiz Inácio Lula da Silva, como o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

 

A liderança tucana reagiu, em nota assinada pela senadora Marisa Serrano (PSDB-MS), dizendo que o discurso não passava de "artimanha do PT". O presidente do PT, Ricardo Berzoini, por sua vez, afirmou que o PSDB estava "descontrolado" por não ter um projeto para apresentar ao País na próxima disputa eleitoral.

 

 

Olímpico

 

Depois de dizer na terça-feira, 19, ser avesso a fazer propaganda em eventos oficiais, Serra presenteou hoje atletas paulistas com coletes azuis com o logotipo do governo do Estado no peito. O mimo foi dado a quatro jovens em cerimônia no Palácio dos Bandeirantes, na capital paulista, que marcou a concessão da Bolsa Talento Esportivo a 200 atletas da categoria estudantil à internacional. Todos os atletas contemplados usavam camiseta branca com o logotipo da iniciativa e do governo estadual.

 

O auxílio mensal varia entre R$ 415 e R$ 2.490 e passou a ser concedido em novembro. Serra anunciou durante o evento que vai duplicar o número de bolsas, que chegarão a 400 ainda neste mês. "Tudo isso serve para a preparação das Olimpíadas. É um investimento para o Brasil", afirmou o governador, em discurso para cerca de 500 pessoas. "São Paulo vai fazer mais bonito ainda para o Brasil em 2016 ano em que o Rio vai sediar os Jogos Olímpicos."

 

Após a cerimônia, os jovens aguardavam o governador para uma foto coletiva em uma das escadarias internas do Palácio dos Bandeirantes. Serra passou entre eles e os convidou a fazer a foto na parte externa do prédio. Depois da "volta olímpica" pela sede do governo, Serra finalmente posou para a foto com o grupo e orientou a todos em voz alta: "Pessoal, vamos falar 'xis'!".

Tudo o que sabemos sobre:
Serraeleicoes2010PSDBPTDilma

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.