Serra diz que está animado para o debate de amanhã

O candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra, disse hoje que está animado para o debate de amanhã à noite, na TV Bandeirantes. Sorridente, em eventos realizados em Poços de Caldas (MG), ele não quis comentar muito o assunto, procurando demonstrar que esse será mais um debate que participa. Não revelou a estratégia, especialmente contra a principal adversária, Dilma Rousseff (PT), que é estreante nesse tipo de confronto eleitoral.

BRAS HENRIQUE, Agência Estado

04 de agosto de 2010 | 19h35

"Nenhuma (estratégia). É expor ideias, comparar e debater", afirmou Serra, que procurou minimizar o resultado do embate. "Debate não é uma coisa decisiva, nenhum debate é." O presidenciável tucano citou, porém, que "é uma coisa importante". E emendou: "Eu acho que está se exagerando o caráter decisivo de um debate, é um ponto importante, mas um ponto na trajetória da informação para o público", disse, esquivando-se de julgar os adversários, se eles estariam ou não preparados, como Dilma, que não participou de agendas públicas desde ontem para se preparar para a disputa televisiva.

Deficientes

Serra participou de dois eventos em Poços de Caldas, envolvendo a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) local, que cuida de cerca de 600 pessoas de até 60 anos. Na instituição, ele anunciou o que se esperava desde o início da campanha, o que já assegurava na pré-campanha. Serra disse que, se eleito, criará, no primeiro mês, e assinará, se possível, no segundo dia, o decreto do Ministério Especial da Pessoa Deficiente. Ele citou que o Brasil tem cerca de 30 milhões de deficientes, sendo que 20 milhões estão com idade para trabalhar (mas apenas 1,6% está no mercado). Apesar de existir lei que obriga empresas a contratarem uma parcela de funcionários deficientes, não existe especialização para tal.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçãoJosé Serradebate

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.