Serra diz que está aberto para proposta de mudança no ICMS

O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), disse nesta segunda-feira, em Santos, que não sabe quais propostas o presidente Luiz Inácio Lula da Silva irá apresentar na reunião que terá com os 24 governadores em Brasília, na terça, inclusive no que se refere à reforma tributária. "Vou lá assistir. Não sei qual é a proposta federal, nós vamos ter que receber a proposta, estudá-la e depois nos manifestarmos", afirmou.Serra disse ainda que é seu dever como governador ouvir as propostas de Lula quanto a mudanças na forma de recolhimento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). "E eu estou falando aqui como governador, não é nem como economista ou como alguém que já trabalhou muito com tributação e tudo o mais", disse, assegurando que avaliará todas as implicações que as alterações no imposto tenham sobre as receitas, perdas, ganhos e compensações para o Estado de São Paulo.Porto de SantosSobre a sua última reunião com o presidente, ocorrida na sexta-feira passada, o governador disse que Lula mostrou-se simpático à idéia de estadualização do Porto de Santos e que a sua proposta sugere que o governo federal tenha participação na administração portuária, assim como os municípios da região, mas todos sob a liderança do Estado. "Eu propus nós criarmos um grupo, misto, entre São Paulo e o Governo Federal para discutir as condições técnicas da transição e entreguei, inclusive, uma proposta sobre o que deveria ser o Porto de Santos numa administração profissionalizada", defendeu Serra.No entanto, o tucano não perdeu a oportunidade de voltar a criticar a gestão petista e o loteamento político nos cargos da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp). "O PT propunha a regionalização e quando chegou ao governo, além de não fazer isso passou a fazer loteamento político", alfinetou.O governador esteve em Santos para assinar os contratos dos quatro primeiros lotes do Programa de Recuperação Ambiental da Região Metropolitana da Baixada Santista, que prevê investimentos de R$ 1,23 bilhão na rede de saneamento básico dos nove municípios da região. A verba está sendo financiada pelo Japan Bank International Cooperation (JBIC), em negociação que começou durante a gestão do ex-governador Mário Covas. Após a conclusão das obras previstas, que deverá ocorrer em 2011, os índices de atendimento com rede de esgotos na região devem chegar a 95% - atualmente são de 62%, segundo a Sabesp.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.